Última hora

Última hora

Alerta máximo em Israel depois de palestinianos terem apelado a um "dia da ira"

Alerta máximo em Israel depois de palestinianos terem apelado a um "dia da ira". Israelitas tentam acalmar os ânimos e levantam restrições de acesso à Esplanada das Mesquitas

Em leitura:

Alerta máximo em Israel depois de palestinianos terem apelado a um "dia da ira"

Tamanho do texto Aa Aa

Israel está em estado de alerta depois de Hamas, Fatah e outras fações palestinianas terem convocado um novo “dia da ira”, apelado à mobilização na Faixa de Gaza e na Cisjordânia.

Os esforços diplomáticos ainda não produziram resultados e a violência prossegue no terreno. No colonato de Gush Etzion, um soldado israelita foi esfaqueado, esta sexta-feira. O agressor foi baleado mas resistiu aos ferimentos, tal como o militar.

Num gesto de apaziguamento, Israel cedeu à pressão internacional e levantou as restrições de acesso à Esplanada das Mesquitas aos homens com menos de 40 anos, que nas últimas três semanas não puderem deslocar-se à mesquita de Al-Aqsa para a grande oração muçulmana de sexta-feira.

A recente espiral de violência foi em parte provocada pela perceção palestiniana de que Israel estará a tentar alterar o “status quo” na Esplanada das Mesquitas, local sagrado para judeus e muçulmanos.

Nos confrontos das últimas semanas já morreram perto de 60 pessoas, na maioria palestinianos.