Última hora

Última hora

Automotive-Hungria abre portas e Audi anuncia novo investimento

Abriu portas esta quarta-feira, em Budapeste, uma das melhores mostras da Europa de componentes para automóveis e a maior do centro-leste europeu

Em leitura:

Automotive-Hungria abre portas e Audi anuncia novo investimento

Tamanho do texto Aa Aa

Abriu portas esta quarta-feira, em Budapeste, uma das melhores mostras da Europa de componentes para automóveis e a maior do centro-leste europeu. Havia receios pelo impacto do escândalo Vokswagen, mas nesta terceira edição da Automotive – Hungria, o setor respira saúde.

A Audi, aliás, até revelou um novo investimento de 32 mil milhões de florins (100 milhões de euros) na fábrica de Györ. “Para a Audi, a geografia torna a Hungria ideal no centro da Europa. As rotas são boas. Podemos chegar aos nossos mercados de forma rápida e os fornecedores estão próximos”, justificou Péter Lőre, diretor de comunicação da marca alemã dos “quatro anéis”, que pertence ao grupo Volkswagen.

(“A Audi-Hungria está a investir num novo centro de logístiva em Györ.”)

Outra marca germânica, a BMW, apresenta-se pela primeira vez nesta feira de Budapeste, que se prolonga por três dias (até sexta-feira, 30 de outubro). A “BM” exibe o mais recente modelo do i-8, um veículo elétrico cuja bateria tem autonomia para fazer mais de 30 quilómteros antes de ter de recarregar a bateria.

Os carros sem condutor poderão ser o próximo passo a dar no desenvolvimento automóvel. A Hungria pode ajudar, garante Csaba Kilián, presidente da Associação da Indústria Automóvel Húngara, tendo em vista o emprego de “centenas de engenheiros húngaros”. “Podemos dizer que a Hungria é um dos polos da engenharia dos carros auto conduzidos”, defendeu.

(“Eletricidade nas ruas. Quase todos os dias novas estações de recarga estão a surgir.”)>/i>

O setor automóvel na Hungria conta com mais de 700 empresas, entre o fabrico de carros e a produção de componentes, emprega mais de 130.000 pessoas e reflete 27,4 por cento do PIB húngaro.

A correspondente da euronews em Budapeste, Beatrix Asboth, conclui que “os automóveis têm um papel importante no crescimento da economia da Hungria”: “Cada 100 postos de trabalho originam de forma indireta mais 235 empregos. É provável que a economia da Hungria não estivesse tão bem se não fosse a indústria automóvel.”

(“Estes são os países com mais veículos por pessoa.”)