Última hora

Última hora

Bruxelas: Apicultores protestam contra importação de mel chinês adulterado para a UE

Em defesa da segurança alimentar, apicultores da Hungria, Eslováquia e Eslovénia reuniram-se em Bruxelas, esta sexta-feira, num protesto contra

Em leitura:

Bruxelas: Apicultores protestam contra importação de mel chinês adulterado para a UE

Tamanho do texto Aa Aa

Em defesa da segurança alimentar, apicultores da Hungria, Eslováquia e Eslovénia reuniram-se em Bruxelas, esta sexta-feira, num protesto contra importação de mel chinês alegadamente adulterado.

Apelaram à Comissão Europeia para restringir o produto, que poderá não ser desenvolvido com recurso a métodos naturais.

“Houve alguns exemplos para a interdição do mel chinês e também queremos isso. Muitos países proibiram as importações. Consideramos que não se trata de mel real e os exportadores chineses têm vantagens ilícitas ao prevaricar”, sublinhou Ferenc Takács, que organizou a manifestação.

Os apicultores reclamam uma atitude da União Europeia (UE), atendendo ao facto de que as atuais regras de rotulagem permitem aos importadores indicar a UE e outros países como locais de origem para mel que foi misturado.

“As atuais regras da União Europeia permitem não assinalar o país exato de origem e o rácio de mistura. Isto quer dizer que é possível misturar uma gota de mel da União Europeia com mel sul-americano geneticamente modificado ou com mel chinês para enganar os consumidores europeus”, explicou József Fekete, da Associação húngara de Apicultores.

A União Europeia importa cerca de 70 mil toneladas de mel da China. Países como os Estados Unidos, Canadá e Arábia Saudita já proibiram as importações.