Última hora

Última hora

Refugiados: A história de uma família

Naturais da Síria, Zaki Khalil, a mulher, Nagwa Muhammad, e os quatro filhos, começaram a viagem em solo europeu a partir do porto de Pireus na

Em leitura:

Refugiados: A história de uma família

Tamanho do texto Aa Aa

Naturais da Síria, Zaki Khalil, a mulher, Nagwa Muhammad, e os quatro filhos, começaram a viagem em solo europeu a partir do porto de Pireus na Grécia no dia 21 de outubro.

Duas semanas mais tarde chegaram ao destino: Nora no centro da Suécia.

Estão exaustos mas com um sorriso na cara, pois chegaram onde queriam.

Atravessaram 7 países, por vezes em condições difíceis.

“É verdade que na Eslovénia sofremos. Tínhamos fome e sede mas havia uma longa caminhada pela frente e só queríamos chegar. Depois chegámos à Alemanha e pensávamos que a odisseia tinha terminado. Antes pelo contrário, ficamos 4 a seis dias lá, quase o mesmo tempo que precisámos para viajarmos da Grécia para a Alemanha. Então, finalmente, o impossível aconteceu. Foi como um milagre”, conta Khalil.

A família deixou Qamishli na Síria em 2013, viveu na Turquia e já como refugiados decidiram ter outro filho, que agora tem 6 semanas.

Khalil já tinha estado na Suécia em 2014, mas não conseguiu ficar com a família no país. Não desistiu. Depois de o filho nascer, fizeram-se todos à estrada.

Com menos de 10 milhões de pessoas, a Suécia já recebeu 100 mil refugiados este ano. Estocolmo acabou de anunciar que vai pedir a redistribuição de uma parte dos milhares que chegam todos os dias ao país.