Última hora

Última hora

A revolta dos atletas derrotados pelos russos

As ondas de choque do escândalo que abalou o atletismo russo têm-se feito sentir um pouco por todo o planeta, particularmente pelos atletas que se

Em leitura:

A revolta dos atletas derrotados pelos russos

Tamanho do texto Aa Aa

As ondas de choque do escândalo que abalou o atletismo russo têm-se feito sentir um pouco por todo o planeta, particularmente pelos atletas que se sentiram prejudicados.

É o caso de Jared Tallent, marchador australiano que por duas vezes se ficou pela medalha de prata nos Jogos Olímpicos: “Estas alegações são chocantes. Descobrir que o homem que me derrotou em Londres, Sergey Kirdyapkin, já devia estar suspenso desde 2011 mas que a Federação Internacional de Atletismo (IAAF) o protegeu até aos Jogos Olímpicos… é simplesmente devastador.

Causa uma grande revolta saber que o organismo que devia proteger todos os atletas honestos, a IAAF, estava afinal a proteger batoteiros.”

Já Paula Radcliffe admite que não foi apanhada de surpresa. Para a recordista do mundo da maratona, chegou o momento do mundo do desporto se unir: “Estou chocada, não por se passar qualquer coisa suspeita, já o sabíamos há algum tempo, mas pelo nível a que chegou. Pela audácia de certas pessoas, por pensarem que podiam passar incólumes e por terem conseguido fazê-lo durante tanto tempo.

Não é só o atletismo que é posto em causa mas todo o desporto. Não podemos continuar a ter ciclismo contra atletismo e todos os outros desportos. Tem de ser desportistas limpos contra o doping, precisamos de avançar juntos.”

Cada vez mais o mundo do desporto de alto nível tem vindo a ser notícia por motivos que nada têm a ver com o desporto e a julgar pela amostra, a tendência é para continuar.