Última hora

Última hora

Comissão Europeia considera algumas pretensões britânicas "altamente problemáticas"

De visita a Bruxelas, onde esteve reunido com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, o ministro britânico das Finanças participou

Em leitura:

Comissão Europeia considera algumas pretensões britânicas "altamente problemáticas"

Tamanho do texto Aa Aa

De visita a Bruxelas, onde esteve reunido com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, o ministro britânico das Finanças participou numa reunião do Ecofin.

À chegada, George Osborne clarificou as ambições do Reino Unido em nome da permanência na União Europeia (UE): “Estas mudanças tornarão a UE melhor para todos os cidadãos, para criarmos mais empregos. Também há mudanças que significam que a UE é mais flexível e aceita diferenças, para que o Reino Unido, que não faz parte da zona euro e que não quer integrar um reforço da união, possa ter alguns dos interesses nacionais respeitados.”

Na carta enviada a Bruxelas pelo primeiro-ministro britânico e dirigida ao Presidente do Conselho Europeu estão detalhadas mudanças em quatro áreas.

David Cameron vai pugnar pela proteção de um mercado único de países fora da zona euro, mas que pertencem à União Europeia. Também pretende defender o aumento da competitividade da economia europeia, eximir o Reino Unido de uma maior integração europeia e que os imigrantes comunitários residam pelo menos quatro anos no Reino Unido e paguem impostos durante esse período antes de poderem aceder a ajudas estatais.

Da Comissão Europeia chegou uma primeira análise, pela voz de Margaritis Schinas: “À primeira vista há vários elementos que parecem ser exequíveis, como encontrar formas de fortalecer o papel dos parlamentos nacionais. Há questões difíceis como o reforço da união e as relações entre os países dentro e fora da zona euro. Outros elementos são altamente problemáticos, uma vez que afetam as liberdades fundamentais do mercado interno.”

O presidente do Conselho Europeu acusou, através das redes sociais, a receção da missiva. Donald Tusk também anunciou que as negociações podem arrancar.

Na próxima semana, o Conselho começará as consultas bilaterais com os Estados-membros e o Parlamento Europeu sobre as conversações a tratar nas conversações com Londres.