Última hora

Última hora

Paris: As horas do pesadelo

Sexta-feira, 13 de novembro, às 21 horas e 20 minutos começa o pesadelo em Paris. A primeira explosão de três, que marca o início da operação

Em leitura:

Paris: As horas do pesadelo

Tamanho do texto Aa Aa

Sexta-feira, 13 de novembro, às 21 horas e 20 minutos começa o pesadelo em Paris.

A primeira explosão de três, que marca o início da operação terrorista, ocorreu no Estádio de França, perto da porta D, um homem aciona o cinto de explosivos e mata-se atingindo igualmente uma pessoa.

Dez minutos depois, a segunda explosão ocorre, também ouvida no interior do Estádio, não provoca vítimas, além o kamikaze e o Presidente da República é retirado discretamente.

A terceira explosão é às 21:53, um terceiro homem-bomba, no exterior do Estádio perto de um McDonald, lança o ataque e morre também sozinho.

É nesta altura que decorre a evacuação do público do Estádio de França.

Dois dos três terroristas do Estádio foram identificados: Hadfi Bilal, 20 anos um residente francês na Bélgica, ter-se-ia radicalizado na Primavera de 2014. Não era conhecido dos serviços franceses, mas esteve preso pela inteligência belga. Almohammad, nasceu em Idleb, Síria, em 1990 segundo o passaporte encontrado junto ao corpo.

Praticamente em simultâneo,homens armados chegaram num carro preto e metralharam a esplanada do restaurante “Little Camboja”, aqui fzeram 15 mortos.

Poucos minutos depois, foi a esplanada do “A Touours” que é metralhada. Há pelo menos cinco mortos. O mesmo carro preto notado.

Menos de cinco minutos mais tarde, vários homens armados abriram fogo na esplanada do restaurante La Belle Equipe. Aqui dezenove pessoas são mortas.

21:43
Uma rápida sucessão, e sempre na esplanada de um café, outros taques. Na brasserie Voltaire 11º bairro, um terrorista faz-se explodir sem matar ninguém.

É Abdelslam Brahim, 3 anos, que vivia na Bélgica, irmão do procurado Salah Abdeslam.

Abdelslam Salah alugou o Polo usado no ataque ao Bataclan e terá passado sábado de manhã a fronteira com a Bélgica.

Às 21:49, três terroristas atacaram o Bataclan onde decorria um concerto, dispararam sobre a multidão, causando pelo menos 89 mortos e centenas de feridos.

Reféns dos atacantes durante duas horas, os espectadores continuaram a ser massacrados até que à meia-noite e vinte e dois minutos as unidades especiais deram o assalto.

Dois dos três terroristas fizeram-se explodir e um terceiro foi morto a tiro pelas brigadas.

O mentor destes múltiplos atentados será Abaaoud Abdelhamid, 27 anos, com quem os kamikazes estiveram em contacto e será um dos executivos da Daesh mais ativos na Síria.