Última hora

Última hora

Segurança reforçada após ataques em Paris

A segurança foi reforçada em vários países europeus. Portugal aumentou a presença policial junto aos aeroportos e embaixadas. Já o Reino Unido

Em leitura:

Segurança reforçada após ataques em Paris

Tamanho do texto Aa Aa

A segurança foi reforçada em vários países europeus. Portugal aumentou a presença policial junto aos aeroportos e embaixadas. Já o Reino Unido manteve o nível de alerta no segundo mais elevado isto porque, e de acordo, com David Cameron, é “muito provável” que um ataque venha a ser perpetrado em solo britânico.

“Independentemente de sermos fortes e de estarmos preparados, o Reino Unido enfrenta a mesma ameaça. Por isso, pedimos às pessoas para estarem atentas. Vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para apoiar as forças policiais e os serviços de inteligência para que possam fazer o seu trabalho” afirma o chefe de governo britânico.

A França repôs o controlo de fronteiras. Uma medida que se vai manter até 13 de dezembro, ou seja, dois depois de concluída a COP21, conferência das Nações Unidas sobre as alterações climáticas, em Paris.

“Começamos a efetuar os primeiros controlos na última noite. A situação está a ser reavaliada e reajustada em permanência. Estamos a colaborar com os nossos parceiros franceses” refere Juergen Glaub da Policia Federal alemã.

Entre 26 de maio e 15 de junho, a Alemanha já tinha reintroduzido o controlo nas fronteiras com países Schengen. A França aumentou o período para um mês – o máximo permitido pelo acordo assinado em 1985 – numa altura em mais de 35 mil pessoas são esperadas em Paris para a conferência das Nações Unidas.

Em termos práticos, a medida obriga os automobilistas a apresentar a documentação sempre que esta for exigida