Última hora

Em leitura:

Terrorismo: "Twit" de Ronaldo destaca-se e Sporting "chora" Manuel Colaço Dias


Desporto

Terrorismo: "Twit" de Ronaldo destaca-se e Sporting "chora" Manuel Colaço Dias

O “twit” partilhado por Cristiano Ronaldo no sábado, pelo meio dia, na reação aos atentados de Paris é o mais partilhado da respetiva rede social de entre todos os que incluem o “hashtag” #prayers4paris (orações por Paris). O melhor futebolista do mundo e capitão da seleção portuguesa escreveu em inglês que “não podia ficar indiferente ao horror” dos atentados.

“Os meus pensamentos vão para as vitimas e familiares”, concluiu o também jogador do Real Madrid, numa publicação que incluia uma montagem de várias fotos revelando a união do mundo pela “dor” de França. O “twit” de Ronaldo foi partilhado mais de 30.000 vezes e recebeu mais de 37.000 “gostos.”

O Sporting, por seu turno, escreveu uma nota no “site” oficial, intitulada “Vítima portuguesa dos ataques de Paris descrito como ‘um sportinguista ferrenho’”. No Twitter, o clube partilhou a ligação para a nota, escrevendo “Por Manuel Colaço Dias, um leão vitima do terrorismo em Paris”. A publicação leonina foi partilhada mais de 360 vezes e recebeu pelo menos 285 “gostos.”

[ A declaração do Sporting por Manuel Colaço Dias ]

Um pouco por todo o mundo, o desporto aderiu à homenagem pelas vitimas dos atentados. em Praga, antes do início da final da Taça Fed, em ténis, entre as seleções femininas da República checa e a Rússia, houve lugar a um minuto de silêncio. No âmbito desportivo, as checas conquistaram o quarto das últimas cinco edições da Taça Fed.

Nos jogos deste fim de semana da Liga profissional de basquetebol, nos Estados Unidos, também houve lugar a um minuto de silêncio. A NBA decidiu ainda fazer ouvir o hino da França nos recintos onde decorreram as partidas.

Na partida da Taça dos Campeões Europeus de râguebi, entre os franceses do Toulouse e os ingleses do Saracens, também foi prestada homenagem às vitimas.

Em Manchester, Luís Figo e Ronaldinho Gaúcho participaram num jogo de solidariedade para a UNICEF. Zidane também deveria ter jogado, mas decidiu ausentar-se devido ao sucedido em Paris.

No final da partida, David Beckham, outro dos participantes neste jogo de antigas estrelas do futebol, disse que a capital francesa sempre foi “um lugar especial”, acrescentou que “foi triste” o sucedido, mas sublinhou que, “infelizmente”, estes são momentos trágicos a acontecer “também um pouco por todo o mundo.”

O piloto britânico de Formula 1 Lewis Hamilton, o velocista jamaicano Usain Bolt e os tenistas Novak Djokovic e Serena Williams também reagiram pelas redes sociais com tristeza aos atentados desta semana.

Ainda pelos Estados Unidos, a equipa do exército, o Army West Point, entrou no sábado para o jogo de futebol americano diante do Tulane empunhando as bandeiras de França e dos Estados Unidos lado-a-lado.Por fim, na Série B do “calcio”, a segunda divisão do futebol italiano, em todos os jogos deste fim de semana foi ouvido o hino de França. Uma forma de homenagear as quase 129 vitimas dos ataques da última sexta-feira reivindicados pelo grupo terrorista Daesh.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

tradução automática

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte

Desporto

República Checa e Rússia em busca da Fed Cup