Última hora

Última hora

"Les yeux brûlés": O papel dos repórteres de guerra

Em leitura:

"Les yeux brûlés": O papel dos repórteres de guerra

Tamanho do texto Aa Aa

“Les yeux brûlés” passa-se em 1986. No aeroporto de Roissy, uma jovem recebe uma mala com os objetos pessoais de John Peraud – um fotojornalista que

“Les yeux brûlés” passa-se em 1986. No aeroporto de Roissy, uma jovem recebe uma mala com os objetos pessoais de John Peraud – um fotojornalista que morreu na guerra de Indochina, em 1954. A protagonista descobre o conteúdo da mala na companhia dos colegas de Peraud que também viveram o conflito.

O filme questiona o papel dos repórteres de guerra. Serão apenas testemunhas ou também combatentes? Até que ponto a guerra os afetou? A protagonista procura compreender a perspetiva masculina da guerra.

“Les yeux brûlés” combina ficção com documentário e foi realizado por Laurent Roth, em 1986. A versão restaurada fez parte da seleção oficial do Festival de Cannes, na categoria Cannes Classics.

Um filme envolvente, pelo retrato destes encontros, pela banda sonora magistral e pelos testemunhos fascinantes dos repórteres de guerra que não desligam as câmaras – mesmo perante a morte.