Última hora

Última hora

Bélgica: Bruxelas continua em alerta máximo devido a "risco iminente" de atentado

O Governo belga mantém o alerta máximo em Bruxelas, devido a “risco sério e iminente” de atentado. O resto do país vai continuar em grau 3. A capital

Em leitura:

Bélgica: Bruxelas continua em alerta máximo devido a "risco iminente" de atentado

Tamanho do texto Aa Aa

O Governo belga mantém o alerta máximo em Bruxelas, devido a “risco sério e iminente” de atentado. O resto do país vai continuar em grau 3.

A capital belga vai manter-se, esta segunda-feira, paralisada com as escolas, universidades e o metro encerrados.

O executivo de Charles Michel aconselhou a população de Bruxelas a manter-se longe de locais de grande aglomeração como centros comerciais ou eventos culturais.

“A ameaça é considerada como semelhante à de ontem: grave e iminente. Mantemos sob especial atenção o sistema de transportes públicos e confirmo que se mantém a decisão de manter o metro encerrado, esta segunda-feira”, informa o primeiro-ministro belga.

Em Bruxelas, o correspondente da euronews, James Franey afirma que “as autoridades belgas dizem que querem certificar-se que a vida em Bruxelas retorna ao normal o mais rápido possível. O que ainda não se sabe, por enquanto, é por quanto tempo é que este alerta terrorista se vai manter.”

O governo belga receia que esteja iminente um atentado, em Bruxelas, semelhante àquele que aconteceu em Paris, a 13 de novembro, que provocou 130 mortes.

“Esta é uma ameaça iminente e precisa, pois receamos que alguns terroristas, e não sabemos o número exato de terroristas, possam agir e seguir um ‘modus operandi’ semelhante àquele que ocorreu em Paris: uma guerrilha urbana com armas pesadas”, receia o ministro belga dos Negócios Estrangeiros, Didier Reynders.

Milhares de soldados e agentes da autoridade patrulham Bruxelas, uma cidade com mais de um milhão de habitantes, onde estão sediadas várias instituições da União Europeia e a sede da Organização do Tratado do Atlântico Norte.