Última hora

Última hora

Versão hip pop do "Quebra-nozes" apresentada em Nova Iorque

Em leitura:

Versão hip pop do "Quebra-nozes" apresentada em Nova Iorque

Tamanho do texto Aa Aa

Onze bailarinos, um DJ e um cantor de rap são os ingredientes da nova versão do clássico “Quebra-nozes”, apresentada em Nova Iorque. A versão hip-pop

Onze bailarinos, um DJ e um cantor de rap são os ingredientes da nova versão do clássico “Quebra-nozes”, apresentada em Nova Iorque.

Point of view

É um desafio, porque é diferente. Não estamos habituados a dançar ao som da música clássica. É uma música mais marcada. É preciso mudar de atitude e manter a mentalidade do hip pop.

A versão hip-pop do bailado de Tchaikovsky foi criada pela coreógrafa Jennifer Weber.

“O ‘Quebra-nozes’ é um espetáculo de dança icónico. Gosto de transformar uma obra clássica através da linguagem do hip pop. Apostámos na história nas personagens. Criámos uma narrativa hip pop com um vocabulário próprio. A grande diferença entre o bailado e o hip pop é que o bailado se passa no ar e o hip pop no chão”, explicou Jennifer Weber.

Os bailarinos admitem que não foi fácil combinar os dois tipos de dança.

“É um pouco difícil mas habituamo-nos somos bailarinos”, sublinhou Derek Matterson.

“É um desafio, porque é diferente, não estamos habituados a dançar ao som da música clássica. É uma música mais marcada. É preciso mudar de atitude e manter a mentalidade do hip pop”, considerou o bailarino Francisco Rodriguez.

O veterano do hip pop Kurtis Blow adorou o projeto de fusão.

“Sempre gostei da ideia de criar uma fusão entre a música clássica e o hip pop. Poder ver a ideia concretizar-se na prática com este espetáculo do Quebra-Nozes foi uma grande alegria”, contou o músico.

A versão hip pop do “Quebra-Nozes” acaba de estrear em Nova Iorque e sobe em palco em várias cidades americanas. Há também um espetáculo previsto em Moscovo.