Última hora

Última hora

Ataques de Paris: A ameaça de Abaaoud e o novo suspeito identificado

Após 10 dias de investigação aos atentados de 13 de novembro em Paris, o Procurador François Molins detalhou esta terça-feira os passos dados em

Em leitura:

Ataques de Paris: A ameaça de Abaaoud e o novo suspeito identificado

Tamanho do texto Aa Aa

Após 10 dias de investigação aos atentados de 13 de novembro em Paris, o Procurador François Molins detalhou esta terça-feira os passos dados em busca dos envolvidos, de forma direta ou indireta, nos atentados.

Um dos suspeitos chave era Abdelhamid Abaaoud, o alegado arquiteto dos ataques coordenados da última “sexta-feira, 13”. De acordo com pistas recolhidas, o alegado terrorista terá estado inclusive junto Le Bataclan, quando a polícia tentava entrar na sala e pôr cobro ao sangrento ataque iniciado durante o concerto dos Eagles of Death Metal.

Abaaoud acabou morto na quarta-feira, em Saint-Denis, na sequência de uma cirúrgica operação policial, que terá interrompido um novo atentado no centro financeiro parisiense e na qual morreram 3 presumíveis “jihadistas”, incluindo uma mulher, prima do cabecilha.

“Elementos sobre os quais não quero nem posso ser mais preciso, e que apenas nos surgiram a 19 de novembro, sugerem que os dois terroristas — Abaaoud e o homem encontrado a seu lado no apartamento de Saint Denis — estavam a projetar um atentado que consistia em fazerem-se explodir na quarta-feira, 18, ou quinta, 19, no distrito de La Defense”, disse François Molins, entre os muitos detalhes revelados nesta conferência de imprensa.

O Procurador de Paris especificou, por exemplo, que a presença de Abaaoud surgiu, primeiro, junto da estação de metro de Nation. O telemóvel que se presume que o alegado terrorista estaria a usar foi detetado nos distritos de 10, 11 e 12 da capital francesa. O suspeito terá estado junto da sala Le Bataclan entre as 22h38 e as 00h28.

Os investigadores franceses continuam a trabalhar, tentando juntar todas as peças e descobrir quem fez o quê nestes atentados. Na Bélgica surgiu, entretanto, mais um nome na lista de suspeitos.

Mohamed Abrini foi filmado a 11 de novembro ao volante de uma das viaturas que viria a ser usada nos atentados de Paris e foi ainda visto na companhia de Abdeslam Salah, o principal suspeito de participação direta nos ataques e que ainda está em fuga.

As autoridades francesas anunciaram, por fim, a detenção de Olivier Corel, um imam salafista francês de origem síria e conhecido mentor de vários “jihadistas” de Toulouse. Para já, após ter sido interrogado e uma busca à sua casa, Corel, de 69 anos, foi detido por posse ilegal de arma.