Última hora

Última hora

IAAF: Depois de Lamine Diack, agora é Sebastian Coe que está sob fogo cerrado

Normalmente por esta altura do ano as altas instâncias do Atletismo reúnem-se no Mónaco para a gala de fim de temporada. Este ano a cerimónia foi

Em leitura:

IAAF: Depois de Lamine Diack, agora é Sebastian Coe que está sob fogo cerrado

Tamanho do texto Aa Aa

Normalmente por esta altura do ano as altas instâncias do Atletismo reúnem-se no Mónaco para a gala de fim de temporada. Este ano a cerimónia foi cancelada mas a reunião manteve-se, afinal de contas a modalidade atravessa aquela que é muito provavelmente a maior crise da sua história.

Lamine Diack estará sob os holofotes, o antigo presidente da Federação Internacional de Atletismo (IAAF) é acusado de fazer vista grossa ao uso sistemático de doping na Rússia. Um esquema que alegadamente tinha o apoio das entidades estatais e que deixará os atletas do país fora dos próximos mundiais de pista coberta e em dúvida para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

No entanto também o atual presidente, Sebastian Coe estará debaixo de fogo cerrado. O inglês é acusado de ter influenciado a atribuição dos mundiais de 2021 a Eugene, no estado de Oregon, de onde é originária a Nike.

Ora a escolha foi feita sem o habitual processo de candidaturas e ainda hoje, Sebastian Coe é conselheiro para a marca norte-americana. O presidente da Federação Internacional nega todas as acusações.