Última hora

Última hora

Reino Unido: Bombardeamentos contra EI decididos quarta-feira

Ataques aéreos britânicos na síria: sim ou não? É já na quarta-feira que o parlamento britânico vota a autorização para o Reino Unido se juntar à

Em leitura:

Reino Unido: Bombardeamentos contra EI decididos quarta-feira

Tamanho do texto Aa Aa

Ataques aéreos britânicos na síria: sim ou não? É já na quarta-feira que o parlamento britânico vota a autorização para o Reino Unido se juntar à coligação que a França tenta reunir no combate ao grupo auto designado
Estado Islâmico.

A indicação surgiu do próprio primeiro-ministro David Cameron que terá rejeitado dois dias de debate, conforme solicitado pelo líder da oposição.

“Não existem soluções militares para o problema, a ação que estamos a realizar faz parte de uma estratégia mais abrangente, uma estratégia política, um estratégia diplomática, uma estratégia humanitária e no final, a resposta para o que se está a passar no Iraque e na Síria é a mesma. Precisamos de governos bons e fortes que representem todos os seus povos: sunitas, chiitas, curdos, cristãos e drusos”, explicou David Cameron.

O líder da oposição, o trabalhista Jeremy Corbin, veterano pacifista, não apoia a intervenção britânica no Médio Oriente, como Cameron.

Mas Corbin dá liberdade de voto aos deputados do “labour”. Na segunda-feira o partido anunciou que três quartos dos trabalhistas estão contra os bombardeamentos ao Estado Islâmico, de acordo com uma amostra de respostas que a direção recebeu no fim de semana.

Mas Cameron deverá conseguir a maioria necessária. Muitos deputados acreditam que a segurança do Reino Unido depende da intervenção britânica contra os jihadistas.