Última hora

Última hora

COP21: Obama ambicioso e otimista

Otimista em relação ao futuro, o Presidente dos Estados Unidos disse esta terca-feira em Paris que acredita num acordo universal na COP21, a Cimeira do Clima das Nações Unidas ou COP21

Em leitura:

COP21: Obama ambicioso e otimista

Tamanho do texto Aa Aa

Otimista em relação ao futuro, o Presidente dos Estados Unidos disse esta terça-feira em Paris que acredita num acordo no final da Cimeira do Clima COP21 e que os diferentes Estados deverão encontrar-se periodicamente para avaliar os progressos nas políticas aplicadas.

“Ao mantermos estes encontros de forma regular, acredito que estaremos a mostrar à comunidade científica, aos investidores e aos empresários que atingimos os nossos objetivos antes do esperado. Desta forma, poderemos ser ainda mais ambiciosos”.

O Presidente Obama apelou também, através da sua conta no Twitter, à “responsabilidade de todos” no que ao desenvolvimento de formas de energia alternativas diz respeito.

Por outro lado e em relação à possibilidade de uma estratégia coordenada entre Rússia e Estado Unidos para fazer frente ao auto-proclamado Estado Islâmico ou Daesh, pela sigla em língua árabe, o Presidente dos Estados Unidos disse que é preciso tempo para que as coisas mudem de forma efetiva.

“Acho que não devemos ser inocentes ao ponto de pensar que a Rússia começará, a partir de agora, a bombardear exclusivamente os alvos do Estado Islâmico (Daesh)”, disse o Presidente Obama.

“Tal não corresponde à realidade, nunca correspondeu e não passará a corresponder dentro das próximas semanas. No entanto, caso a estratégia meticulosamente preparada por John Kerry e pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros russo Sergei Lavrov funcione em Viena, é possível que venham a ser estabelecidas zonas de cessar-fogo um pouco por toda a Síria.

Os encontros do Presidente dos Estados Unidos com os seus homólogos russo e turco à margem da COP21 acontecem num momento de grande tensão diplomática entre a Rússia e a Turquia e quando os Chefes de Estado de ambos países trocam diferentes acusações depois de que o exército turco abatera um avião militar russo perto da fronteira turca com a Síria.