Última hora

Última hora

Birmânia: Presidente propõe "transição pacífica" a San Suu Kyi

Aung San Suu Kyi, cujo partido, a Liga Nacional para a Democracia (NLD), foi amplamente vencedor das primeiras eleições livres em 25 anos na

Em leitura:

Birmânia: Presidente propõe "transição pacífica" a San Suu Kyi

Tamanho do texto Aa Aa

Aung San Suu Kyi, cujo partido, a Liga Nacional para a Democracia (NLD), foi amplamente vencedor das primeiras eleições livres em 25 anos na Birmânia, foi recebida pelo presidente Thein Sein para preparar uma “transição pacífica”.

Thein Sein permanecerá no cargo até março com o novo Parlamento em funções e que deve eleger o próximo presidente que não será indigitado antes de finais de fevereiro.

“O presidente prometeu uma transição suave e Aung San Suu Kyi disse também que precisamos de uma boa transição para a democracia, como um bom exemplo no futuro para um jovem país democrático como nós”, declarou o porta-voz da presidência.

A fim de não ofender os seus adversários políticos e abrindo caminho para uma transição suave, Aung San Suu Kyi não organizou um grande encontro para celebrar a vitória com quase 80% dos votos e foi rapidamente chamada para discussões sobre a “reconciliação nacional” com os homens-chave do regime pós-junta.

Ainda hoje, San Suu Kyi, que esteve 15 anos em prisão domicilária e vigiada, vai reunir-se com o homem forte do país, o chefe do exército e muito poderoso Min Aung Hlaing.
Na Birmânia, o poder político continua concentrado nas mãos de ex-generais.