Última hora

Última hora

EUA: Atacantes de San Bernardino"foram radicalizados"

Cinco dias após o massacre de San Bernardino, no Sul da Califórnia, os investigadores acreditam que o casal que matou 14 pessoas foi radicalizado

Em leitura:

EUA: Atacantes de San Bernardino"foram radicalizados"

Tamanho do texto Aa Aa

Cinco dias após o massacre de San Bernardino, no Sul da Califórnia, os investigadores acreditam que o casal que matou 14 pessoas foi radicalizado, mas não terá havido contacto com organizações internacionais.

As autoridades afirmam ter provas de que os dois indivíduos treinaram em carreiras de tiro na zona de Los Angeles”.

Segundo David Bowdich, director-adjunto da equipa de investigação do FBI, foram encontrados 19 tipos de canos na residência dos agressores que seriam utilizados para construir bombas artesanais.

“Temos provas de que estes dois sujetos participaram em vários treinos de tiro ao alvo em carreiras dos arredores de Los Angeles. Esse exercício ocorreu poucos dias antes dos acontecimentos”.

David Bowdich disse ainda que já foram feitos “pelo menos 400 contactos no âmbito de “uma investigação gigantesca”, que inclui a participação de “parceiros estrangeiros”.

O ataque ocorreu no Inland Regional Center, uma instituição que atende “pessoas com deficiências de desenvolvimento”.