Última hora

Última hora

Espanha: A essência de um país vai a votos

As legislativas em Espanha podem vir a mudar o mapa do país ou mesmo determinar o futuro da União Europeia?

Em leitura:

Espanha: A essência de um país vai a votos

Tamanho do texto Aa Aa

A economia espanhola está a crescer de novo – é o argumento do primeiro-ministro, Mariano Rajoy, que pretende reconduzir o Partido Popular no governo. A taxa de desemprego é a mais baixa dos últimos quatro anos. Mas os conservadores espanhóis enfrentam nestas legislativas o desgaste das políticas de austeridade.

As sondagens apontam um enfraquecimento do Podemos e um avanço do movimento Ciudadanos, ou Cidadãos, oriundo de uma Catalunha que se debate com o separatismo. Será que a liderança de Rajoy vai sobreviver a um período que foi atravessado por inúmeras crises tanto externas, como internas?

Convidámos para o debate no Parlamento Europeu, em Bruxelas: Lucía Abellán, a correspondente do jornal El País em Bruxelas; Karel Lannoo, diretor do Centro de Estudos Políticos Europeus; e Enrique Serbeto, o correspondente em Bruxelas do jornal ABC.

Lucía Abellán salientou que “há muitas incertezas nestas eleições, até porque 41% dos eleitores ainda não decidiram em quem vão votar. No entanto, diria que o Ciudadanos pode vir a ser decisivo, uma vez que tanto pode formar uma coligação com o PP, como com os socialistas.” Mas Abellán sublinha que esta hipótese pode não ajudar ao diálogo com os catalães, uma vez que o Ciudadanos “assumiu uma posição bastante firme contra a independência catalã.”

Para Karel Lannoo, é importante realçar que “segundo o governo atual, Espanha foi o melhor aluno do programa europeu de austeridade. Este ano, o crescimento atingiu os 3%. Foi o melhor desempenho entre os países do sul da Europa. Há expetativas de que se continue no mesmo caminho. Mas tudo pode mudar se houver uma coligação entre socialistas e o Ciudadanos, ou entre o Ciudadanos e o Partido Popular. Isso significaria atenuar em grande medida a austeridade, embora Bruxelas possa não gostar muito da ideia.”

Já Enrique Serbeto apontou que “o Ciudadanos é um partido político que nasceu na Catalunha e que vai mudar o panorama político espanhol. E isso é algo de muito simbólico. Segundo as sondagens, o partido mais votado na Catalunha será o Podemos que, por sua vez, é um partido oriundo de Madrid. Ou seja, há ligações profundas que se mantêm entre ambas as partes. Temos de encontrar um caminho através do diálogo.”