Última hora

Última hora

França: Frente Nacional pode perder regiões onde era dada como vencedora

Más notícias para a líder da Frente Nacional, Marine Le Pen, e para a sobrinha, Marion Maréchal Le Pen: Uma sondagem dá, pela primeira vez, as duas

Em leitura:

França: Frente Nacional pode perder regiões onde era dada como vencedora

Tamanho do texto Aa Aa

Más notícias para a líder da Frente Nacional, Marine Le Pen, e para a sobrinha, Marion Maréchal Le Pen: Uma sondagem dá, pela primeira vez, as duas cabeças de lista da extrema-direita como derrotadas na segunda volta das eleições regionais em França.

A Frente Nacional foi o partido que conquistou mais regiões na primeira volta: seis das treze saídas da recente reforma territorial. Até ontem, as sondagens indicavam que a FN iria certamente governar nas regiões de Norte-Pas de Calais-Picardia e de Provença-Alpes-Côte d’Azur, mas o mais recente estudo de opinião atribui agora a vitória à formação de direita Os Republicanos.

Marion Maréchal Le Pen atacou ontem o rival conservador Christian Estrosi, que classificou de “estranho adversário”, dizendo que “nos últimos dias se transformou no candidato da esquerda”, quando “no passado, queria uma aliança com a Frente Nacional de Jean-Marie Le Pen, em 1988, 1991, 1992, 1993 e 1998”.

Tal como em 2002, quando o líder histórico da extrema-direita chegou a segunda volta das presidenciais, muitos abstencionistas parecem decididos a votar no domingo, para contrariar a FN.

Uma francesa diz que na primeira volta “não sabia em quem votar” e agora “sente-se um pouco culpada”.

Outro eleitor, na fila de espera para fazer uma procuração para o voto diz que “se fosse só entre esquerda e direita, não o faria, mas a situação é séria”.

Os analistas destacam, no entanto, que o despertar para o dever cívico não irá, forçosamente, inverter a tendência ascendente da extrema-direita.