Última hora

Última hora

Esqui alpino: Kristoffersen quebra hegemonia de Hirscher em Val d'Isère

Jean-Claude Killy, Franz Klammer, Ingemar Stenmark, Pirmin Zurbriggen, Marc Girardelli, Lasse Kjus, Hermann Maier e Bode Miller, os maiores nomes do

Em leitura:

Esqui alpino: Kristoffersen quebra hegemonia de Hirscher em Val d'Isère

Tamanho do texto Aa Aa

Jean-Claude Killy, Franz Klammer, Ingemar Stenmark, Pirmin Zurbriggen, Marc Girardelli, Lasse Kjus, Hermann Maier e Bode Miller, os maiores nomes do esqui deixaram a sua marca no Critério da primeira neve que há 60 anos se realiza em Val d’Isère. Henrik Kristoffersen juntou o seu nome a essa lista ao conquistar o primeiro slalom da temporada.

Aos 21 anos de idade o norueguês é uma das grandes promessas do esqui alpino e estreou-se a vencer esta temporada ao conquistar o slalom na estância francesa. Kristoffersen arrasou por completo na primeira manga, ganhando praticamente um segundo ao mais direto perseguidor, e limitou-se a gerir a vantagem na segunda.

Cortou a linha da meta com uma vantagem de um segundo e nove centésimos sobre Marcel Hirscher, colocando um ponto final a uma série de três vitórias consecutivas do austríaco.

Ainda assim, a segunda posição permitiu a Hirscher reforçar a liderança na classificação geral, tem agora 123 pontos de vantagem sobre Aksel Lund Svindal.

No lugar mais baixo do pódio terminou o alemão Felix Neureuther.

Marcel Hirscher aproveitou o seu fim de semana na estância francesa, e a ausência de Svindal, para tomar de assalto a liderança da Taça do Mundo. Para o especialista da euronews, Franck Piccard, o austríaco pode muito bem ganhar o quinto Globo de Cristal consecutivo:

“Não vejo quem o poderá impedir a não ser ele mesmo, se perder a ambição, mas não me parece que seja esse tipo de desportista. Terá uma palavra a dizer em todas as disciplinas até ao super gigante, é um esquiador muito rápido e tem uma técnica que tem impressionado de ano para ano. Uma técnica cheia de vivacidade, potência física e intensidade extrema. Quando está a cem por cento, quer num slalom, quer no gigante não há nada que o possa parar.”

A primeira vez de Vhlová

Sem a rainha do slalom Mikaela Shiffrin, lesionada no joelho direito e de regresso aos Estados Unidos, estava tudo em aberto na estância sueca de Åre. Ainda assim, ninguém podia prever a vitória de Petra Vlhová.

A eslovaca de 20 anos nunca tinha conseguido melhor que um sétimo lugar na Taça do Mundo e deu-se a conhecer à elite do esqui alpino com uma vitória categórica. Vlhová assinou o tempo mais rápido na primeira manga e o segundo melhor tempo na segunda, terminando com 59 centésimos de vantagem sobre Frida Hansdotter.

A sueca subiu ao pódio pela terceira vez esta temporada no dia do seu trigésimo aniversário mas continua sem vencer. Na terceira posição ficou a norueguesa Nina Løseth. Lindsey Vonn, como é habitual, optou por não participar no slalom mas continua a liderar tranquilamente na corrida ao Globo de Cristal.