Última hora

Última hora

O legado Budista em Termez

Em leitura:

O legado Budista em Termez

Tamanho do texto Aa Aa

Encontra-se no extremo mais a sul do Uzbequistão e tem uma grande história: Termez foi o centro do budismo na Ásia Central e um dos pontos de

Encontra-se no extremo mais a sul do Uzbequistão e tem uma grande história: Termez foi o centro do budismo na Ásia Central e um dos pontos de passagem da antiga Rota da Seda. Em “Uzbekistan Life” vamos descobrir os tesouros arqueológicos da cidade.

É uma maravilha do legado budista: Fayaz Tepa em Termez. Este mosteiro tem 2 mil anos e remonta aos tempos da dinastia de Kushan. Foi um dos impérios mais multiculturais do seu tempo e a região desempenhou um papel fundamental na expansão do budismo.

O arqueólogo Bahodir Turgunov mostra aos alunos da Universidade de Termez as marcas deixadas pelos peregrinos: “A parede foi coberta com uma camada de palha e depois aplicou-se a tinta de cima a baixo. A stupa estava repleta de pinturas nas paredes, por dentro e por fora.”

Foram preservados vários murais e esculturas, com a figura de Buda. Para além da stupa, o mosteiro continha um templo, um claustro e alojamento para os peregrinos, com uma arquitetura única. A cidade tem 2500 anos de história. Está localizada na fronteira com o Afeganistão, nas margens do rio Amu Dária.

Algumas das descobertas mais impressionantes nos locais de escavação da cidade estão no Museu Arqueológico de Termez, um dos melhores na Ásia Central. Um tesouro com milhares de esculturas, terracota, cerâmica, murais e pedras preciosas que refletem o património da região.

“Esta é uma peça muito original, é única. É a cabeça de um príncipe que foi encontrada em Dalverzintepa”, diz Bahodir Turgunov. Dalverzintepa, na região de Termez foi fundada no século III aC. Era uma cidade rica, com grandes casas e terraços. Numa dessas casas Bahodir Turgunov e a equipa fizeram uma descoberta impressionante: “Retirámos as pedras e descobrimos um vaso de cerâmica e no interior encontrámos colares, brincos, pulseiras, barras de ouro e vários objetos pequenos.”

No total, encontraram 36 quilos de ouro que pertenciam a um joalheiro que escondia uma preciosa fortuna que acabou por ser armazenada no banco nacional.

Os arqueólogos ainda estão à procura de novos tesouros, para compreender melhor o passado. Estão convencidos que ainda existem muitos segredos para descobrir.

A nossa jornada chegou ao fim. Levou-nos até Samarkand, com o património da Rota da Seda, até Bukhara, com o seu artesanato – e a ver os tesouros arqueológicos de Termez. Os restantes programas estão disponíveis aqui, no nosso site. Esperamos que tenha gostado desta aventura!