Última hora

Última hora

Perfil da população da União Europeia

Quão perto está de fazer parte da média europeia? O perfil da população da União Europeia, em geral, tem vindo a evoluir. São vários os fatores que

Em leitura:

Perfil da população da União Europeia

Tamanho do texto Aa Aa

Quão perto está de fazer parte da média europeia?

O perfil da população da União Europeia, em geral, tem vindo a evoluir. São vários os fatores que contribuem para as alterações que se têm verificado, entre eles o envelhecimento da população, as alterações nos padrões, a estrutura familiar e as mudanças em termos da distribuição dos papéis entre homens e mulheres.

O Eurostat fez o estudo sobre todas estas questões que definem os europeus, hoje. Começamos pela idade, qual é a idade média de um europeu?

Idade média UE: 42.2 anos

O envelhecimento da população do velho continente é claro, apenas ultrapassado pelo Japão. Em 1994, em Portugal, a média de idades era de 35,5, em 2014 passou para 43,1. Uma situação que se repete em todos os países, ainda que com dados diferentes e, na maioria dos Estados da UE a idade média está agora acima dos 40 anos. A Irlanda é o país com a população mais jovem, uma média de 36 anos. A Alemanha tem a mais envelhecida 45,6. O país que envelheceu mais rapidamente nos últimos 20 anos foi a Lituânia.


Idade média da população na UE

Estado civil: Casado

As mudanças são muitas, mas há coisas que parecem não mudar. Mais de sete em dez famílias são constituídas por casais de facto casados, com ou sem filhos, isto de acordo com os últimos censos. Dados de 2011 dizem que o Chipre tem a maior proporção de famílias compostas por casais casados, 83,9%, enquanto a Estónia tem a mais baixa, ainda assim, 52,5%.

Em termos globais, na União Europeia, 71,4% das famílias seguem a mesma tendência, 16% são famílias monoparentais e 12,6% dizem respeito a casais que não são casados ou uniões de facto. É na Letónia que encontramos o maior número de casos de famílias monoparentais, 33,4%, o Chipre apresenta o menor número deste tipo de núcleos familiares, 9,9%.


As famílias na UE

Composição dos lares europeus

Em média, cada lar europeu, em 2014 era composto por pouco mais de duas pessoas, de acordo com dados do Eurostat, situação que se mantém inalterada desde 2005. Quer isto dizer, naturalmente, que há lares onde o número de moradores é mais elevado. Na Croácia a média era de 2.8 pessoas em 2014, enquanto na Alemanha e na Suécia, a média é de duas pessoas. A Dinamarca é o país onde há mais lares unipessoais, 45%. Portugal fica quase na outra ponta, ou seja, apenas 21,4% vivem sozinhas. Sabemos que, em Portugal, a família é importante, ainda assim, a crise e o desemprego, continuam a obrigar muitos filhos, já adultos, a permanecerem nos lares parentais.

A construção das casas dos Europeus: 1946-1980

Mais de quatro em 10 casas europeias foram construídas no pós Segunda Guerra Mundial e até 1980. A Roménia é o melhor exemplo disso, 59.1% das habitações datam deste período, na Irlanda elas representam apenas 22.9%. O Reino Unido tem a maior percentagem de casas construídas antes de 1946, 37.8%. Em Portugal, a percentagem de casas construídas depois de 2001 é de 16,3% apenas 10,7% são habitações que datam de antes de 1946.


Habitação na UE: do novo ao antigo

A nossa casa

O Eurostat diz que 70% das habitações da UE, em 2013, eram ocupadas pelos proprietários, enquanto 30 por cento eram habitadas por inquilinos. Mais de 90% das casas na Roménia, Lituânia e Eslováquia eram habitadas pelos seus proprietários. A Alemanha vive situação inversa 47,4% das famílias viviam em casas alugadas.

Percentagem de pessoas que vive na cidade

A maior parte da população da UE vivia, em 2014, nas grandes cidades: 41,6%. 31% habitava em cidades mais pequenas e subúrbios, 27,5% em zonas rurais. Malta era o país com o maior número de habitantes na grande cidade, 89%, o Luxemburgo o menor: 14,5%.

Ainda assim, a situação tem vindo a mudar. Em 2007, quando o bloco europeu era composto por 27 países, 48,5% da população vivia em cidades, no ano passado eram 41,6%, como referimos.


Percentagem de pessoas que vive na cidade

Trabalhadores da Função Pública

No emprego, a função e administração pública, defesa, educação, saúde e trabalho social continuavam a ser, em 2011, os mais popular entre os europeus, segundo o Eurostat. Segundo esta fonte 25% das pessoas que trabalham e nasceram na UE tinha um emprego neste sector nesse ano, o último para o qual há dados disponíveis.