Última hora

Última hora

Bruxelas: Líderes europeus discutem crise migratória e questão britânica em cimeira

Arrancou esta quinta-feira, em Bruxelas, a última cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Europeia(UE) deste ano, com a questão da crise

Em leitura:

Bruxelas: Líderes europeus discutem crise migratória e questão britânica em cimeira

Tamanho do texto Aa Aa

Arrancou esta quinta-feira, em Bruxelas, a última cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Europeia(UE) deste ano, com a questão da crise migratória e a permanência do Reino Unido na seio da UE na agenda.

À chegada ao encontro, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, referiu-se à proposta do executivo comunitário para a criação de uma Guarda europeia Costeira e Fronteiriça, cujo mandato não gera consenso, junto de países como a Polónia ou Hungria: “Temos de analisar a proposta mais controversa, a ideia mais controversa, de uma Guarda europeia Fronteiriça a entrar no território de Estados soberanos. A Europa não pode permanecer vulnerável quando os Estados que integram o Espaço Schengen não são capazes de proteger de forma efetiva as fronteiras.”

Também à chegada, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, apelou ao Conselho Europeu que permita obter “progressos reais” nos quatro vetores que o Reino Unido elencou em nome da permanência no bloco comunitário: “Não estamos a exercer pressão para um acordo esta noite, mas estamos a exercer pressão para dar um impulso de forma a conseguirmos um acordo. Lutarei pelo Reino Unido e julgo que conseguiremos um bom acordo.”

O líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn, disse, em entrevista à Euronews, que vê o referendo mais como uma questão de estratégia do Partido Conservador do que como uma preocupação do país: “Não estou muito certo do que é que David Cameron quer conseguir. Porque os antecedentes desta pressão não são as negociações que está a conduzir aqui. São os argumentos no seio do Partido Conservador de um grande número de pessoas que não querem estar na União Europeia, que não querem ter nada a ver com a Europa.”

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse esperar que se alcance um princípio de acordo em relação às propostas do executivo comunitário para a criação de uma Guarda europeia Costeira e Fronteiriça, apesar de admitir que é preciso discutir melhor alguns detalhes.