Última hora

Última hora

Jeremy Corbyn: "Quero ver uma Europa mais democrática"

Em Bruxelas, a jornalista da Euronews Efi Koutsokosta esteve à conversa com Jeremy Corbyn, líder do Partido Trabalhista britânico.

Em leitura:

Jeremy Corbyn: "Quero ver uma Europa mais democrática"

Tamanho do texto Aa Aa

Em Bruxelas, a jornalista da Euronews Efi Koutsokosta esteve à conversa com Jeremy Corbyn, líder do Partido Trabalhista britânico.

Efi Koutsokosta, euronews – A permanência do Reino Unido na União Europeia (UE) está a ser discutida. Porque é que quer que o Reino Unido continue na UE, quando usou a palavra “não democrático” em relação ao bloco no passado?

Jeremy Corbyn, líder do Partido Trabalhista britânico – Quero ver uma Europa mais democrática, mais socialmente justa. Não considero que isto se possa alcançar com uma saída. No congresso nacional do partido votou-se que devemos permanecer no seio da União Europeia, mas devemos fazer campanha em nome de uma Europa mais social.

euronews – David Cameron também quer que o Reino Unido permaneça na União Europeia, apenas defende uma relação diferente. Qual poderia ser o impacto?

Jeremy Corbyn – Não estou muito certo do que é que David Cameron quer conseguir. Porque os antecedentes desta pressão não são as negociações que está a conduzir aqui. São os argumentos no seio do Partido Conservador de um grande número de pessoas que não querem estar na União Europeia, que não querem ter nada a ver com a Europa. E a ala dele no Partido Conservador, que não quer abandonar a Europa mas quer, basicamente, uma Europa de mercado livre, em vez de uma Europa de justiça social.

euronews – Fala de uma Europa social, mas o que se verifica em Berlim, Paris e outras capitais europeias, é um mercado livre comum. O que é que o faz acreditar que um Reino Unido liderado por Jeremy Corbyn poderia convencer estes líderes a mudar de rumo?

Jeremy Corbyn – Acreditamos que a austeridade é uma escolha política, não económica. Se a União Europeia quer ter sucesso não poder continuar a empobrecer as pessoas mais pobres nos países menos abastados no velho continente.

euronews – Em relação à crise de refugiados, o que pensa da resposta europeia ao problema?

Jeremy Corbyn – Os seres humanos que estão desesperados, que fogem da guerra e de desastres, deveriam ser distribuídos pela Europa. A Alemanha deveria ser congratulada pelo número de refugiados que se mostrou preparada para acolher. O Reino Unido não se juntou ao programa da UE. Em vez disso, estabeleceu um número de 20 mil pessoas para serem recebidas em quatro anos, recolhidas diretamente de campos de refugiados no Líbano e na Jordânia.

euronews – Acredita que o Reino Unido deveria participar sistema de quotas da União Europeia para a recolocação de refugiados?

Jeremy Corbyn – Sim. Deixei isso bastante claro no Parlamento em muitas ocasiões. Esta é uma crise, que afeta pessoas normais. Estas pessoas merecem o apoio e a simpatia humanitária de todos nós.

euronews – Qual é a visão que tem para a Europa?

Jeremy Corbyn – Não podemos, simplesmente, permitir que as vidas de todos nós sejam dominadas pela economia do mercado livre. Tem de haver algo diferente. Emprego, solidariedade social, oportunidades para os jovens, condições de trabalho decentes, em todo o continente.