Última hora

Última hora

Líder rebelde Zahran Alloush morto em ataque revindicado pelo exército sírio

O ataque, reveindicado por Damasco, traduz-se numa perda sem precedentes para os rebeldes e poderia significar novos entraves às negociações de janeiro próximo.

Em leitura:

Líder rebelde Zahran Alloush morto em ataque revindicado pelo exército sírio

Tamanho do texto Aa Aa

A líderança do principal movimento rebelde presente na região da capital síria Damasco sofreu um duro golpe esta sexta-feira, golpe que acabou com a vida do insurgente Zahran Alloush.

Um dos responsáveis do grupo armado disse à agência France Presse que Aloush morreu num ataque ocorrido na localidade de Marj al-Sultan, juntamente com outros elementos de Jaich al-Islam e de outros grupos rebeldes.

O ataque, já reveindicado pelas forças de Damasco, traduz-se numa perda sem precedentes para os rebeldes e poderia significar novos entraves às negociações entre o governo de Bachar al-Assad e os opositores, que deveriam começar em janeiro próximo.

Além disso, o ataque aconteceu um dia antes da posta em prática de um acordo considerado inédito entre rebeldes e governo, que supõe a partida de 4 mil pessoas de três bairros a sul de Damasco, incluindo jihadistas do autoproclamado Estado Islâmico (EI) ou Daesh, pela sigla em árabe, da Frente al-Nosra, e de civis.

Líder do grupo Jaich al-Islam, (os combatentes do Islão, em língua árabe), Zahran Alloush tinha 44 anos e era filho de um salafista, o Xeque Abdallah Aloush, que vive atualmente na Arábia Saudita.

Alloush tinha sido detido pelas autoridades sírias em 2009 e libertado dois anos depois, numa amnistia geral decretada três meses depois do conflito que cobrou, até ao momento, mais de 250 mil vítimas. Tinha escapado a diversas tentativas de assassinato em território sírio.

Khaled Khoja, dirigente da Coligação Nacional Síria (CNS), a principal formação da oposição no exílio, confirmou a morte de Zahran Alloush na sua conta Twitter, em língua árabe, lamentando o sucedido.

Charles Lister, investigador no Brookings Doha Center (Qatar), e um dos mais importantes conhecedores dos grupos rebeldes armados atualmente em combate na Síria, diz que “a morte de Alloush é uma das mais importantes perdas dos rebeldes”:

O Jaich al-Islam é considerado como um dos grupos combatentes mais importantes na região de Damasco. Apoiado pela Arábia Saudita, o grupo controla zonas próximas da capital, alvo de constantes bombardeamentos da aviação russa. Por outro lado, o grupo rebelde foi por diversas vezes acusado pelo governo de Bachar al-Assad de bombardeamentos em plena capital.

Alloush chegara a recusar a “noção de democracia imposta pelos ocidentais” e chegou a falar na “criação de uma república islâmica na Síria”.