Última hora

Última hora

Síria: Começa transferência de rebeldes depois de acordo sob a égide da ONU

Grupos de rebeldes e as suas famílias foram transferidos de diferentes localidades sírias no quadro de um acordo entre o Governo de Damasco e os rebeldes.

Em leitura:

Síria: Começa transferência de rebeldes depois de acordo sob a égide da ONU

Tamanho do texto Aa Aa

Um grupo de autocarros com mais de 100 rebeldes sírios e as respetivas famílias chegou esta segunda-feira ao aeroporto internacional Rafic Hariri em Beirute, no Líbano.

O grupo tinha deixado a cidade de Zabadani, sudoeste da Síria, onde se encontravam cercados por forças governamentais.

Seguem agora num voo para a Turquia, como parte de um acordo entre o Governo Sírio de Bachar al-Assad e os rebeldes, sob a égide das Nações Unidas e com o apoio do Comité Internacional da Cruz Vermelha e da Cruz Vermelha Libanesa.

O objetivo do acordo, alcançado em setembro, é o de permitir que milhares de rebeldes e de civis possam abandonar, de forma segura, zonas de conflito na guerra civil síria.

O acordo permitiu também que um grupo com cerca de 300 sírios xiitas abandonasse as localidades de Kefraya y Fuaa, província de Idlib, no norte do país, ganhando refúgio na Turquia.

O grupo deverá depois seguir para áreas do território sírio controladas pelo governo de al-Assad.

O diário francófono libanês L’Orient-Le Jour publicou, na sua edição digital, fotos doa operação. Entre os rebeldes que chegaram a Beirute, encontravam-se vários feridos.

Para além do apoio do Comité Internacional da Cruz Vermelha e da a Cruz Vermelha Libanesa, a operação conta também com o apoio do Crescente Vermelho Sírio, é vista como um primeiro passo para o início de negociações com vista a um cessar-fogo entre o Governo de Bachar al-Assad e os diferentes grupos rebeldes em conflito.

O mediador das Nações Unidas para as conversações, Staffan de Mistura, diz esperar que governo e rebeldes sírios possam encontrar-se dia 25 de janeiro em Genebra, Suiça, para dar início a conversações de paz. Mistura congratulou-se pelo que considera ser “o êxito de uma primeira operação” e disse que o objetivo das Nações Unidas é o de atingir um cessar-fogo global”.

Steffan de Mistura, diplomata italiano com experiência no Médio Oriente, foi apontado como enviado especial das Nações Unidas para a Síria em 2014.

A guerra civil síria dura há cinco anos e causou cerca de 250 mil mortos e milhares de refugiados naquele país árabe.