Última hora

Última hora

EUA: absolvidos os polícias envolvidos na morte de criança de 12 anos

Foram absolvidos os dois polícias envolvidos na morte de uma criança negra de 12 anos que brincava com uma arma de plástico num parque público de

Em leitura:

EUA: absolvidos os polícias envolvidos na morte de criança de 12 anos

Tamanho do texto Aa Aa

Foram absolvidos os dois polícias envolvidos na morte de uma criança negra de 12 anos que brincava com uma arma de plástico num parque público de Cleveland, no estado americano de Ohio, em novembro de 2014.

A morte do garoto, Tamir Rice, foi considerada na segunda-feira homicídio justificado pelo grande júri de um tribunal de Ohio.

Anunciada a sentença, o avogado de acusação, Tim McGinty, disse que “Aconteceu naquele dia uma tempestade de erros humanos, enganos e falhas de comunicação entre todos os envolvidos. As provas não indicam que a polícia tenha tido uma conduta criminosa”.

Tamir Rice caminhava num parque de Cleveland com uma arma de plástico de ar comprimido, como as que podem ser compradas na secção de brinquedos de qualquer supermercado, mas tinha-lhe retirado a peça de plástico vermelha que normalmente ajuda a distinguir o brinquedo de uma arma autêntica.

Um cidadão preocupado por ver o garoto a fazer de conta que matava as pessoas que cruzava, ligou ao número de emergência, advertindo que a arma era provavelmente falsa. Esta informação não foi transmitida à patrulha policial. Assim que chegaram ao local, os agentes deram ordem a Tamir para pôr as mãos no ar. O garoto fez um gesto na direção da arma, que tinha guardado no cinto, e o agente saiu do carro e disparou no mesmo instante. Tamir morreu no dia seguinte.

Segundo o avogado de acusação, “A pessoa que ligou para o número de emergência disse que o atirador era provavelmente – sublinho provavelmente – um menor, e que a arma podia não ser verdadeira. Se os agentes tivessem sido informados destes pormenores, a patrulha ter-se-ia aproximado com menos urgência.”

Um comunicado divulgado pelos advogados da família de Tamir acusa McGinty de durante meses, “ter manipulado o grande júri, com o objetivo de obter um voto contrário à acusação”.

Tamir foi um dos quatro negros mortos pela polícia nos Estados Unidos em 2014. Quatro mortes que sucitaram protestos e debates sobre o uso excessivo de força e o racismo da polícia.

A morte do garoto de 12 anos é mais uma a adicionar à longa estatística dos “homicídios justificáveis”, o termo usado para definir todos os suspeitos que são mortos por polícias em serviço.

De acordo com o relatório Uniform Crime Report, do FBI, em 2013 a polícia foi responsável por 461 “homicídios justificados”.

Este número é contestado por fontes independentes e ativistas da sociedade civil, que apontam um número muito superior, sublinhando que o relatório do FBI não inclui todos os casos.

Segundo os ativistas que na página de Facebook The Killed By Police fazem a contabilidade de todos os homicídios cometidos todos os anos pela polícia nos Estados Unidos, em 2015 foram mortas pelo menos 1190 pessoas e em 2014 cerca de 1108.

O diário The Guardian mantém igualmente uma página na internet onde faz a contabilidade das vítimas mortais da polícia norte-americana.