Última hora

Última hora

EUA: Condenados à vida no corredor na morte em San Quentin, Califórnia

Mais de 700 condenados à morte aguardam, em precárias condições, a execução da pena na prisão californiana de San Quentin, EUA.

Em leitura:

EUA: Condenados à vida no corredor na morte em San Quentin, Califórnia

Tamanho do texto Aa Aa

Mais de 700 condenados à pena capital aguardam pela execução da pena no corredor da morte da prisão Estadual de San Quentin, no Condado de Marin, a norte da cidade de São Francisco.

Point of view

A maioria de nós fica à espera anos e anos, à medida que que se sucedem os pedidos de recurso em tribunal

Fundada em 1852, San Quentin é a mais antiga prisão do Estado.

Conta com o corredor da morte para homens mais importante dos Estados Unidos e alberga alguns dos criminosos considerados mais perigosos. As história de muitos deles fizeram as primeiras páginas dos jornais e abriram emissões dos informativos, tanto a nível regional como nacional.

A prisão tem uma câmara de gás, embora, desde 1996, as execuções sejam feitas com recurso a injeção letal.

Em 2003, as autoridades decidiram abrir as portas de San Quentin para mostrar as precárias condições em que se encontravam as instalações, em particular as do chamado corredor da morte.

Os condenados viviam, segundo a entidade gestora de San Quentin, em péssimas confições, devido à falta de recursos.Encontravam-se, há 12 anos, cerca de 600 homens no corredor da morte em San Quentin, à espera da execução das penas às quais tinham sido condenados.

Na passada quinta-feira (29), a direção de San Quentin decidiu abrir, mais uma vez, as portas aos jornalistas.

Destas vez, conta o diário San Jose Mercury News, na sua versão online, parece que o tempo não passou por San Quentin.

De 600, a população residente no corredor da morte subiu para 745 condenados. E ninguém sabe quando será administrada, de acordo com a prisão, a próxima injeção letal.

Condenados a viver

A pena de morte parece ter-se transformado numa condenação à vida enquanto se espera pela morte para estes homens.

Pelo menos 500 vivem em celas demasiado pequenas. Muitos disseram aos repórteres, no passado dia 29, que “pouco mais faziam do que esperar”.

Charles Edward Crawford, condenado à morte em 2002 pelo assassinato de uma jovem de 16 anos e de um homem adulto, disse aos jornalistas que a morte se transforma num pensamento “como que abstrato” em San Quentin.

“A maioria de nós fica à espera anos e anos, à medida que que se sucedem os pedidos de recurso em tribunal. E nem sempre pensamos na morte. É algo muito abstrato, na realidade, até porque não acontece todos os dias, sabe? Para muitos, nem parece uma realidade”, disse Crawford.

Ron Davis, funcionário da prisão, disse que os suicídios de alguns dos condenados foram a única razão pela qual a população residente no corredor da morte chegou a diminuir.

Recentemente, o Estado californiano abriu uma unidade de assistência psiquiátrica destinada aos pelo menos 40 presos que sofrem de doenças mentais e que se encontram em estado considerado grave.

Mas os residentes da California nem sempre apoiam este tipo de medidas, particularmente em estabelecimentos com a reputação de San Quentin. Alguns dos criminosos mais odiados pela opinião pública encontram-se ou passaram por aquela instituição.

A pena de morte nos Estados Unidos

Há dez anos que ninguém é executado na California. Entretanto, o Estado abandonou recentemente um projeto para construir novas instalações no corredor da morte por falta de dinheiro.

Entretanto, os eleitores da California deverão votar, num referendo a realizar em novembro de 2016, a possível abolição da pena de morte. É um dos temas mais fraturantes na sociedade norte-americana, tal como a despenalização do aborto e o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

No caso da pena capital, os 50 Estados da União podem, até agora, decidir se a pena capital se aplica ou não nos territórios que compõem a União.

No caso da California, a pena de morte foi restabelecida em 1978. No entanto, a pena foi considerada inconstitucional por um juíz do Estado. A sentença encontra-se, neste momento, em recurso no Tribunal Supremo.

Segundo o Death Penalty Information Center Califórnia é um dos 31 de 50 Estados com pena capital nos EUA.

O DPIC publicou recentemente um estudo em que conclui que aplicação da pena capital se encontra, no entando, em declínio nos EUA.

Fundado em 1990, o DPIC é uma organização sem fins lucrativos com sede em Washington,DC cujo objetivo é o estudo da aplicação da pena de morte nos Estados Unidos. A instituição não toma qualquer posição a respeito da existência da pena de morte no país.