This content is not available in your region

2016: da crise de refugiados à exploração espacial, o futuro vai começar

Access to the comments Comentários
De  Euronews
2016: da crise de refugiados à exploração espacial, o futuro vai começar

<p><strong>A cortina pode ter baixado, mas a história de 2015 não acabou. Muito do que se passou vai ter influência nos acontecimentos futuros. Antevemos agora os eventos chave, as tendências e os temas dos próximos 12 meses que vão modelar o mundo e impactar nas nossas vidas.</strong> </p> <h3>A guerra na Síria, o autodenominado Estado Islâmico e as conversações de Viena</h3> <p>A Síria continua talvez a ser o maior desafio para a estabilidade global. A partir da base em Raqqa, o autodenominado Estado Islâmico mantém um reinado sangrento, exportando a ideologia extremista subjacente a ataques terroristas pelo mundo fora.</p> <p>O Ocidente e a Rússia podem estar unidos na causa comum de derrotar os jihadistas, mas estão profundamente divididos sobre o futuro governo da Síria, em particular sobre o destino de Bashar al-Assad. Poderão eles – e os vários e divididos partidos locais – superar divergências e chegar a acordo? A entrar em 2016, há esperança com as conversações começadas em Viena. </p> <p>As negociações formais apoiadas pelas Nações Unidas estão agendadas para início de janeiro. O caminho é longo e os resultados são incertos.</p> <h3>A crise de refugiados na Europa</h3> <p>O esperado acordo político na Síria visa atenuar a tragédia dos refugiados que matou milhares e deixou outros tantos no exílio. O êxodo rumo à Europa forçou as potências mundiais à ação com promessas de asilo que agora vão ter de cumprir.</p> <p>Enquanto os vizinhos da Síria já receberam milhões de deslocados, a receção dos países da Europa, e não só, vai acertar passo nos próximos meses. Ao longo do ano, comunidades de acolhimento vão receber um número crescente de refugiados.</p> <p>Mas o plano da União Europeia para receber mais 120 mil refugiados, maioritariamente na Alemanha, é contestado, dividindo países e, nalguns casos, populações e políticos. Isso refletiu-se em várias eleições pela Europa fora este ano, com atitudes endurecidas pelos ataques terroristas de Paris.</p> <p>E a tragédia humana pode continuar: prevê-se que o fluxo em direção ao ocidente se intensifique, com a meteorologia a melhorar no mediterrâneo.<br /> Contudo, a União Europeia espera salvar muitas vidas com a Operação Sofia, dirigida a traficantes de pessoas e aos barcos que operam.</p> <h3>As eleições para a Casa Branca</h3> <p>A preocupação com a segurança face à migração tem sido exponenciada na agenda das eleições presidenciais dos Estados Unidos – normalmente dominada por assuntos internos -, pelo massacre de San Bernardino e pelas declarações incendiárias de Donald Trump. </p> <p>Em 2016 os republicanos estão em cisão. Ter Trump como candidato de primeira linha confunde a elite do partido opondo o pensamento independente ao populismo na corrida para a convenção de nomeação em julho. A série de votos de nomeação começa com o caucus de Iowa a 1 de fevereiro.</p> <p>Em comparação, a batalha democrata soa aborrecida, com Hillary Clinton a liderar, com apenas três opositores de peso. Sem controvérsia nem lutas internas, o processo culmina na conferência de nomeação do partido no fim de julho.</p> <p>Seja quem for candidato, a preparação para o voto para a Casa Branca a 8 de novembro será certamente uma das mais interessantes disputas presidenciais dos últimos tempos.</p> <h3>Desporto: <span class="caps">UEFA</span>, <span class="caps">FIFA</span> e Jogos Olímpicos</h3> <p>As competições desportivas vão dominar os meses de verão, com a festa do futebol europeu a começar em junho. A França recebe o torneio da <span class="caps">UEFA</span> agora com 24 países e, no rescaldo dos atentados de Paris, são esperados níveis de segurança nunca antes vistos.</p> <p>Por essa altura terá começado uma nova era no futebol depois das eleições presidenciais na <span class="caps">FIFA</span> a 26 de fevereiro, o capítulo final do reinado de Sepp Blatter, manchado pela corrupção.<br /> Os campeões europeus são coroados a 10 de julho, mas os fãs desportivos esperam pouco até aos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, três semanas depois. <br /> Os organizadores esperam que uns Olímpicos limpos apaguem a memória dos escândalos de dopping da edição anterior. </p> <h3>O ano da descoberta espacial</h3> <p>Vão ser 12 meses de acontecimentos e de outros planetas também, porque bem acima de nós a descoberta continua. No calendário de exploração está o primeiro voo espacial da Índia com tripulação humana e a chegada da sonda Juno da <span class="caps">NASA</span> a Júpiter, no verão. E, deixamos-lhe aqui imagens, o lançamento inaugural do projeto cooperativo russo e da Agência Espacial Europeia <a href="http://exploration.esa.int/mars/"><strong>ExoMars</strong></a>, em março.</p>