This content is not available in your region

113, 115, 117 e 118 entram na tabela periódica

Access to the comments Comentários
De  Dulce Dias  com AFP, PúBLICO, EXPRESSO, THE GUARDIAN
113, 115, 117 e 118 entram na tabela periódica

<p>Tinha quatro buracos, mas agora está completa. Falamos da sétima linha da tabela periódica – também conhecida como tabela de Mendeleev, o cientista russo que, em 1969, criou a primeira versão.</p> <p>A <a href="http://www.iupac.org/">União Internacional de Química Pura e Aplicada (<span class="caps">UICPA</span>, segundo a sigla inglesa)</a> atribuiu, no primeiro dia de 2016, a descoberta do elemento 113 a uma equipa do Instituto Riken, no Japão, dirigida por Kosuke Morita.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="fr"><p lang="en" dir="ltr"><span class="caps">KOSUKE</span> <span class="caps">MORITA</span>, Head of Riken Japan's Research Team, shown additional new elements over the Chemistry Periodic Table. <a href="https://t.co/ptFJ0JVgL9">pic.twitter.com/ptFJ0JVgL9</a></p>— <span class="caps">RIEFS</span> <span class="caps">SPRINGFIELDS</span> (@Riefs68) <a href="https://twitter.com/Riefs68/status/683984447138480132">4 Janvier 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Completa-se assim a sétima linha da tabela periódica, depois de, dois dias antes, a 30 de dezembro, a <span class="caps">UICPA</span> ter atribuído a descoberta dos elementos 115, 117 e 118 a uma equipa de investigadores russos e norte-americanos do Instituto Conjunto para a Investigação Nuclear em Dubna, na Rússia, e do Laboratório Nacional Lawrence Livermore, no Estado norte-americano da Califórnia.</p> <p><strong>Novos elementos, novos nomes</strong></p> <p>Os elementos 113 e 115 entram na categoria de metais de pós-transição; o 117 é um halogéneo e o 118 classifica-se como gás nobre.</p> <p><a href="http://www.ptable.com/?lang=pt" title="Uuo, elemento 118">Temporariamente conhecidos como unúntrio (Uut ou elemento 113), ununpêntio (Uup, elemento 115), ununséptio (Uus, elemento 117), e ununóctio</a>, os novos elementos deverão ser “batizados” durante o corrente ano.</p> <p>A organização científica responsável pela nomenclatura química já convidou as equipas de cientistas responsáveis pela descoberta dos novos elementos e escolherem um nome e um símbolo que os identifiquem.</p> <p>Para batizá-los, os investigadores podem inspirar-se em seres mitológicos, minerais, países ou em nomes de cientistas.</p> <p>Pela primeira vez, poderá haver um nome japonês na tabela periódica, já que esta é a primeira vez que uma equipa de cientistas asiáticos é reconhecida como tendo descoberto um novo elemento químico. Para já, “Japónio” parece ser o favorito – pelo menos, aos olhos dos media japoneses.</p> <p><strong>Salvar a honra do Japão</strong></p> <p>Para a equipa de Riken, a atribuição da descoberta do elemento 113 é um novo fôlego e uma oportunidade para reganhar a confiança da comunidade científica, abalada pelo escândalo das chamadas “células <span class="caps">STAP</span>”: uma jovem cientista do instituto foi acusada de falsificar dados e fotos que “provavam” a criação de células estaminais a partir de células adultas graças a um procedimento químico inédito. </p> <p>Afinal, tais células nunca existiram e a cientista em causa, Haruko Obokata, demitiu-se pouco antes do Natal, depois de cerca de um ano de controvérsia.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="fr"><p lang="es" dir="ltr">¿Qué lleva a los científicos a la muerte? El caso de Haruko Obokata del <span class="caps">CDB</span> en Kobe, Japón. <a href="https://t.co/eWAftvAVV9">https://t.co/eWAftvAVV9</a> <a href="https://t.co/zOxb0a51Zw">pic.twitter.com/zOxb0a51Zw</a></p>— <span class="caps">GUIA</span> Biomédica (@GUIA_Biomedica) <a href="https://twitter.com/GUIA_Biomedica/status/680814083164082176">26 Décembre 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p><strong>119?</strong></p> <p>O líder da equipa japonesa que descobriu o 113, Kosuke Morita, já afirmou que o seu laboratório pretende agora investigar o elemento 119. </p> <p>A ser descoberto, vai ser preciso criar uma nova linha na tabela periódica. Mas esse será outro capítulo da estória.</p>