Última hora

Última hora

Fortes quedas de neve em campos de refugiados na Síria e no Líbano

A população e os refugiados da Síria, pouco habituados ao frio, têm não só de fazer face à guerra mas também à tempestade ártica inédita que, desde o início do ano, assola o país e o vizinho Líbano

Em leitura:

Fortes quedas de neve em campos de refugiados na Síria e no Líbano

Tamanho do texto Aa Aa

Na Síria, a população tem não só de fazer face à guerra, mas também à vaga de frio e neve que atinge o país.

Point of view

Estamos aqui há 4 anos. As autoridades não fazem nada por nós. As ajudas e os apoios vão todos para os novos refugiados - refugiado do Turquemenistão

Desde o início do ano, uma tempestade ártica inédita assola a Síria, provocando fortes quedas de neve nas regiões do norte e do centro. Ao longo da semana, o resto do país deverá também ficar debaixo de um manto branco.

A situação é particularmente difícil nos campos de refugiados. Os habitantes queixam-se de falta de apoios e pedem ajuda.

“Venho das montanhas curdas. Levámos uns dois dias para encontrar um local abrigado. Estão dez graus negativos: está frio, está a nevar”, queixa-se um refugiado, num vídeo publicado nas redes sociais e alegadamente filmado no campo de Al-Yamiyyek, em Latakia.

No mesmo vídeo, outro refugiado exprime também as suas dolências: “Vimos do Turquemenistão e estamos aqui há 4 anos. As autoridades não fazem nada por nós. As ajudas e os apoios vão todos para os novos refugiados. Falta-nos muita coisa: não nem aquecedores nem lenha.”

No vizinho Líbano, a situação não é melhor. Desde o fim de semana que o país está coberto pela neve. Um país que acolhe milhares de refugiados sírios – muitos, em acampamentos.

O Líbano está mais habituado do que a Síria a invernos rigorosos, pelo que as ONG reforçam atempadamente a distribuição de combustível e de abrigos. Mas para quem vive em tendas, o inverno é sempre rude.