Última hora

Última hora

Novas manifestações no Irão contra a Arábia Saudita

O Irão foi palco de novas manifestações contra a Arábia Saudita, que enfatizam a escalada nas tensões entre Teerão e Riade desde que o reino sunita

Em leitura:

Novas manifestações no Irão contra a Arábia Saudita

Tamanho do texto Aa Aa

O Irão foi palco de novas manifestações contra a Arábia Saudita, que enfatizam a escalada nas tensões entre Teerão e Riade desde que o reino sunita executou o proeminente clérigo xiita Nimr al-Nimr.

O ayatollah Mohammad Kashani, que liderou as orações desta sexta-feira na capital iraniana, afirmou que “o ataque contra a embaixada saudita [em Teerão, no dia 3] foi orquestrado por um grupo nos bastidores, que pertence ao inimigo e pretendeu apontar o dedo acusatório ao Irão, para cortar relações. O ataque foi condenado [pelas autoridades iranianas] e os responsáveis são criminosos. É por isso que o governo e o parlamento iraniano insistiram na condenação [do ato] e no seguimento do caso”.

Com gritos de “morte aos al-Saud”, a família reinante na Arábia Saudita, milhares de iranianos desfilaram na capital e noutras cidades do país, denunciando também o bombardeamento saudita na capital do Iémen que, segundo Teerão, visou a sua representação diplomática.

Um manifestante defende que “atacar a embaixada iraniana no Iémen ou uma embaixada de qualquer país não produz resultados e representa fraqueza. [A família] al-Saud não está em condições de governar e o reino saudita está a cair aos pedaços, devido à opressão que impõe”.

A Arábia Saudita diz ter visado, no bombardeamento em Saná, rebeldes houtis e não a embaixada, apesar das acusações do Irão, que diz que o raide aéreo feriu gravemente um guarda iraniano.

O correspondente da euronews em Teerão, Javad Montazeri, afirma que “o raide saudita e as manifestações contra Riade mostram que as tensões estão ao rubro entre os dois países. Tensões que podem transformar a ‘guerra por procuração’, que decorre há vários anos na região, numa confrontação direta”.