This content is not available in your region

Obama de regresso à "mudança" no último discurso do estado da União

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Obama de regresso à "mudança" no último discurso do estado da União

<p>Barack Obama regressa ao tema da mudança no final da legislatura. No seu último discurso sobre o estado da União, o presidente norte-americano defendeu o legado de dois mandatos, lançando vários desafios para o futuro a um irredutível Congresso, do fim do embargo a Cuba à aprovação de uma intervenção militar contra o grupo Estado Islâmico.</p> <p>Colocando a luta contra o terrorismo como um dos principais objetivos de segurança nacional, Obama garantiu também que vai tentar concretizar uma das suas primeiras promessas eleitorais até ao final do seu mandato – o encerramento da prisão de Guantanamo.</p> <p>“A nossa principal prioridade é a de proteger a América e de perseguir as organizações terroristas. Tanto a Al-Qaida como o Estado Islâmico representam uma ameaça direta ao nosso povo, pois no mundo de hoje, mesmo um punhado de terroristas que não reconhecem o valor de uma vida humana, incluindo da sua própria vida, pode causar muitos danos. Eles utilizam a Internet para envenenar as mentes de pessoas dentro do nosso país, eles ameaçam e desestabilizam os nossos aliados”, afirmou Obama.</p> <p>Um discurso entre esperança e obra feita, da morte de Osama Bin Laden, à reforma da Segurança Social, passando pelo acordo sobre o clima ou sobre o programa nuclear iraniano.</p> <p>Um elogio do papel da América face aos novos desafios e contra todos os extremismos que revela a grande batalha contra o populismo que marca já a pré-campanha para as presidenciais norte-americanas.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-partner="tweetdeck"><p lang="en" dir="ltr">"I stand here confident as I have ever been that the State of our Union is strong” —<a href="https://twitter.com/POTUS">@POTUS</a>: <a href="https://t.co/7ZgBUWqyl1">https://t.co/7ZgBUWqyl1</a> <a href="https://t.co/dglcVG5N7J">pic.twitter.com/dglcVG5N7J</a></p>— The White House (@WhiteHouse) <a href="https://twitter.com/WhiteHouse/status/687130621857132544">January 13, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p>