Última hora

Última hora

Ex-presidente da IAAF acusado de corrupção

Uma comissão presidida por Dick Pound, antigo líder da Agência Mundial Antidopagem, deixa Lamine Diack em maus lençóis.

Em leitura:

Ex-presidente da IAAF acusado de corrupção

Tamanho do texto Aa Aa

Um novo relatório, da autoria do investigador independente e antigo presidente da Agência Mundial antidopagem Dick Pound, atinge em cheio aquele que já foi o patrão do atletismo mundial, Lamine Diack.

Segundo o relatório, o senegalês, presidente da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), terá organizado um vasto esquema de corrupção.

Richard McLaren, outro dos membros desta comissão independente autora do relatório, dá alguns detalhes: “Ele introduziu o advogado Habib Cissé no departamento médico e antidopagem em novembro de 2011, quando se estavam a preparar os jogos olímpicos de Londres em 2012 e os mundiais de Moscovo em 2013. Fez isso para poder acompanhar os casos relacionados com os passaportes biológicos dos atletas russos”.

Lamine Diack presidiu à IAAF entre 1999 e 2015. Dick Pound salienta o facto de ter sido esta federação, sob a presidência de Diack, a criar o conceito de “passaporte sanguíneo” para os atletas, algo destinado a impedir a dopagem através do sangue: “A comissão não partilha da opinião de que a Federação terá tido uma resposta inadequada em relação à dopagem sanguínea durante este período. Na verdade, a IAAF foi pioneira na introdução do passaporte sanguíneo”.

A pressão é agora maior sobre Sebastian Coe, antiga estrela do atletismo britânico, sucessor de Diack e vice-presidente da federação durante vários anos, para que prove a transparência da instituição.

Os casos de dopagem com atletas russos, no ano passado, abalaram o mundo do atletismo.