Última hora

Última hora

Risco e segurança na montanha

Será que esquiar se tornou uma atividade de risco? A avalanche recente ocorrida em Deux Alpes em França recorda-nos que na montanha a prudência é a

Em leitura:

Risco e segurança na montanha

Tamanho do texto Aa Aa

Será que esquiar se tornou uma atividade de risco?
A avalanche recente ocorrida em Deux Alpes em França recorda-nos que na montanha a prudência é a regra de ouro. O risco é maior quando se pratica o esqui fora de pista, uma atividade que não é proibida pela lei. Acompanhámos um grupo de jovens da Universidade de Limoges que faziam um estágio de uma semana em Deux Alpes com o guia de montanha Eric Arnol.

Para Marie Sophie, trata-se de uma estreia. Ela diz-nos, “sempre sonhei esquiar fora de pista mas como sou mãe gostaria de o fazer apenas em boas condições, com um bom apoio e em segurança”.

Os estudantes familiarizam-se com um pequeno aparelho que transportam consigo e que lhes permitirá serem descobertos em caso de avalancha.

Christophe Lafon, professor de desporto, adianta que “antes de partir é essencial verificar o funcionamento deste detetor de vítimas de avalancha.”

Em França, nos últimos 15 anos morreram 49 pessoas em avalanchas. O número pode parecer elevado mas se levarmos em consideração o crescimento desta atividade vemos que se trata de um valor modesto.

A repórter da euronews Laurence Alexandrowicz conclui “mesmo que todos os anos haja mortes a lamentar provocadas por avalanchas, é preciso não esquecer que este número não aumentou com os anos ao passo que a prática do esqui fora de pista tem-se vindo a desenvolver bastante. Trata-se de um sinal de que a segurança é essencial para as estâncias de esqui”.