Última hora

Última hora

Muçulmanas poderão ser expulsas do Reino Unido por não falar inglês

As mulheres muçulmanas poderão ser expulsas do Reino Unido se não aprenderem a falar inglês. Esta possibilidade foi levantada pelo primeiro-ministro

Em leitura:

Muçulmanas poderão ser expulsas do Reino Unido por não falar inglês

Tamanho do texto Aa Aa

As mulheres muçulmanas poderão ser expulsas do Reino Unido se não aprenderem a falar inglês. Esta possibilidade foi levantada pelo primeiro-ministro britânico, David Cameron, no dia em que lançou um plano para ensinar a língua inglesa e lutar contra a segregação dos migrantes e em particular das mulheres.

Point of view

Não é possível ter um país de oportunidades se algumas pessoas não falarem a língua

“Pretendemos construir uma sociedade nacional mais integrada e coesa, onde todos podem dar aproveitar ao máximo os seus talentos. Não é possível ter um país de oportunidades se algumas pessoas não falarem a língua. Em muitos casos a culpa não é sua, porque foram colocadas numa situação em que são encorajadas a não se integrar, a não sair de casa e a não aprender a língua. Isto tem de mudar no nosso país” – afirmou Cameron.

Para o chefe do governo britânico o isolamento e o desconhecimento da língua podem criar um terreno fértil para o extremismo religioso. Palavras de David Cameron foram prontamente criticadas pela oposição e por várias organizações da sociedade civil.

“Recebemos chamadas telefónicas de mulheres muçulmanas que queriam mesmo estudar e aprender inglês, em particular as estrangeiras que vieram ter com os maridos, mas que são impedidas pelos familiares que as ameaçam com o regresso ao país natal para as controlar e silenciar. Se o governo agora as quer expulsar por não aprenderem inglês estas mulheres são duplamente vítimas” denuncia Shaista Gohir, da Muslim Women’s Network UK.

Entretanto sobem também de tom as críticas à diretiva do ministério do Interior que vai entrar em vigor em abril: os estrangeiros extracomunitários que vivem há mais de cinco anos do país serão expulsos se não ganharem mais de 35 mil libras por ano.