Última hora

Em leitura:

A paixão maltesa pela música barroca europeia


le mag

A paixão maltesa pela música barroca europeia

Em parceria com

O Festival de Música Barroca de Valeta, em Malta, é um dos maiores eventos culturais da ilha.

Nas últimas décadas, a música erudita europeia dos séculos XVII e XVIII tem seduzido um número crescente de jovens músicos e o público.

“Em Malta, nos últimos quatro anos, o interesse pela música barroco aumentou imenso. É algo muito presente. Em quatro anos, conseguimos impor este festival como um dos melhores da Europa. Para nós é um novo mercado de nicho”, contou Kenneth Zammit Tabona, diretor do Festival.

A orquestra “Les Concert des Nations”, dirigida por Jordi Savall, tocou a oferenda musical de Bach.

Os músicos usam instrumentos de época e seguem o espírito e as indicações da partitura original.

“Bach, tal como muitos compositores que estão no final de um período, resume toda a sabedoria e toda a arte dos seus predecessores. Ao mesmo tempo, Bach tenta renovar a música e propor uma nova forma de tocar com um espírito mais vivo, com momentos de improvisação e ornamentos. É algo de muito rico”, explicou Jordi Savall.

No tempo de J.S. Bach não existia piano mas a música do compositor alemão, composta para cravo, soa bem em instrumentos modernos.

A pianista Joanne Camilleri e a violonista Catherine Martin tocaram sonatas de Bach.

“Ele era uma pessoa muito matemática, estruturava as obras muito bem, antes de escrever os manuscritos. Cada elemento tem para ele, um sentido específico”, sublinhou Joanne Camilleri.

“O grande desafio é analisar a música, antes de começar a aprendê-la. Falamos sobre a música quando estamos aprendê-la. Mas, quando tocamos, não queremos destacar o lado matemático. Queremos que as pessoas apreciem a música, e, nós também”, frisou a britânica Catherine Martin.

O Abchordis Ensemble toca música italiana dos séculos XVII e XVIII e tem dado a conhecer obras inéditas ou pouco conhecidas.

“Nos últimos anos, a música barroca tornou-se um repertório muito tocado pelos jovens músicos que estão muito entusiasmados com as três décadas de descoberta progressiva das obras de arte do barroco europeu. Estamos todos unidos nesta paixão pela música barroca e decidimos tocar sobretudo peças italianas inéditas ou nunca tocadas do séculos XVII e XVIII”, contou cravista Andrea Buccarella, maestro do grupo.

A quarta edição do Festival de Música barroca de Valeta decorre na capital maltesa entre 16 e 30 de janeiro de 2016.

Os nossos destaques

Artigo seguinte

le mag

O encontro mágico entre a espanhola Carmen París e a marroquina Nabyla Maan