Última hora

Última hora

Economia circular: Fazer mais com menos

Transformar resíduos em matéria-prima: a economia circular e a ecoinovação representam uma série de novas oportunidades para as empresas.

Em leitura:

Economia circular: Fazer mais com menos

Tamanho do texto Aa Aa

Transformar resíduos em matéria-prima: a economia circular e a ecoinovação representam uma série de novas oportunidades para as empresas.

A economia circular

  • O Sistema Europeu de Ecogestão e Auditoria (EMAS) consiste numa ferramenta de gestão ambiental para ajudar empresas e organismos a melhorarem o desempenho ecológico e aumentarem os níveis de eficiência. Para além da monitorização dos processos produtivos, o EMAS ajuda também a identificar novas oportunidades de negócio.
  • A atribuição dos Prémios EMAS começou em 2005, como forma de distinguir os trajetos mais assinaláveis na área da ecoinovação entre os seus afiliados.
  • Em 2015, a Comissão Europeia lançou uma nova estratégia relativa à Economia Circular para incentivar o investimento, reduzir os obstáculos administrativos e apoiar a inovação.

Ligações úteis

O Business Planet foi até Atenas para falar naquela que é a base da economia circular: transformar resíduos em matéria-prima, um conceito que representa uma série de novas oportunidades para as PME. Para isso, Alexia Economopoulou explicou-nos as vantagens de recorrer ao EMAS, o Sistema Europeu de Ecogestão e Auditoria.

“O EMAS ajuda a gerir um determinado sistema produtivo e a proteger o ambiente, reduzindo a produção de detritos e o consumo de energia, e rentabilizando os recursos disponíveis”, afirma a representante grega desta certificação.

Fomos conhecer um exemplo da chamada ecoinovação a 230 quilómetros de Atenas, em Kalamata. Toda esta região é conhecida pela produção de azeite. Foi aqui que, na década de 70, Klimis Klimentidis teve uma ideia original: utilizar os caroços desfeitos das azeitonas como combustível para os fornos da sociedade de construção que tinha. Depois, pensou em reutilizar o que restava dos caroços para fabricar acendalhas. Daí nasceu uma empresa que, hoje em dia, é dirigida pela neta, Dimitra.

“São acendalhas ecológicas, não há qualquer químico. Geram mais calor e libertam menos 30% de monóxido de carbono em comparação com as de madeira. A venda de acendalhas representa 50% do nosso volume de negócios. Para além da Grécia, exportamos para a Alemanha e vamos começar com o Canadá”, declara Dimitra Kottaridi.

Esta empresa familiar, que emprega atualmente 12 pessoas, aplica o sistema ambiental EMAS, certificando a gestão ecológica da produção como parte fundamental de todo o conceito. Segundo Dimitra, “o EMAS veio salientar a nível europeu o respeito pelo ambiente que já tínhamos. Recebemos mesmo um prémio e aumentámos as vendas.”

Alexia Economopoulou realça que esta família é, de facto “pioneira na área da ecoinovação.” Sublinha ainda que, para obter o registo EMAS, é necessário respeitar alguns requisitos: “Cumprir as normas em vigor, aplicar um sistema ecológico de gestão, e fornecer uma certificação validada por uma autoridade do setor ambiental. Depois, devem submeter o pedido ao organismo nacional de registo.”

.