Última hora

Última hora

Tunísia: Manifestações pelo emprego alastram-se

Os protestos generalizaram-se depois do suicídio de um jovem desempregado.

Em leitura:

Tunísia: Manifestações pelo emprego alastram-se

Tamanho do texto Aa Aa

Na Tunísia, o suicídio de um jovem desempregado está a causar uma onda de protestos por todo o país.

A Tunísia foi palco do início da chamada “Primavera Árabe” e um dos poucos casos de sucesso na transição democrática. Em 2011, tudo começou também com um suicídio.

O presidente Beji Caid Essebsi mostrou-se sensibilizado: “Sei que o Estado e o governo conseguem encontrar os fundos adequados, mesmo se tivermos de os ir buscar a outro sítio. É a nossa responsabilidade”, disse numa comunicação ao país.

Kasserine, uma das cidades mais pobres do país, onde aconteceu este último suicídio, foi palco de manifestações pelo emprego, algumas marcadas pela violência.

Os protestos começaram aqui e alastraram-se depois a três outras cidades do centro-sul da Tunísia. O homem que se suicidou procurava emprego na função pública.

Quanto ao setor privado, o principal sindicato e a maior associação patronal chegaram a um acordo que vai permitir aumentar o salário a cerca de um milhão e meio de empregados.