Última hora

Última hora

Ban Ki-moon reitera críticas à expansão dos colonatos israelitas

O secretário-geral da ONU não retira as críticas a Israel. Pelo contrário. Ban Ki-moon repete que “os colonatos são ilegais, segundo a lei

Em leitura:

Ban Ki-moon reitera críticas à expansão dos colonatos israelitas

Tamanho do texto Aa Aa

O secretário-geral da ONU não retira as críticas a Israel. Pelo contrário. Ban Ki-moon repete que “os colonatos são ilegais, segundo a lei internacional, e ameaçam a solução de dois estados”.

A primeira declaração, na terça-feira, levou o governo hebraico a acusar Ban Ki-moon de apoiar o terrorismo:http://pt.euronews.com/2016/01/26/nethanyahu-acusa-ban-ki-moon-de-apoiar-o-terrorismo/.

Mas o secretário-geral da ONU retalia: “Deixem-me ser claro, nada justifica o terrorismo. Nada justifica o ataque a pessoas inocentes. Condeno esses atos. Se querem ver um fim à violência, as medidas de segurança não bastam. É preciso resolver a frustração e o fracasso subjacentes para encontrar uma solução política”.

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, considera que palavras de Ban Ki-moon fizeram a ONU perder a sua neutralidade.

Mas as criticas não são apenas da ONU. Também Washington questiona a política de Netanyahu.

Os palestinianos pedem uma ação internacional contra o novo projeto israelita: a expropriação de uma área de terrenos férteis na Cisjordânia para alargar os colonatos. No local, o governo hebraico quer construir 150 novas casas.

Nas terras ocupadas por Israel na Cisjordânia e em Jerusalém Leste vivem 550 mil colonos judaicos.