Última hora

Última hora

Alemanha: Partido populista defende uso de armas contra os migrantes

A líder do AfD diz que ninguém quer balear os migrantes mas que, "em última instância, é preciso poder recorrer às armas"

Em leitura:

Alemanha: Partido populista defende uso de armas contra os migrantes

Tamanho do texto Aa Aa

O AfD, partido populista alemão, criou a polémica, no país, ao sugerir que, “em casos extremos, a polícia pudesse usar armas de fogo contra os migrantes”.

Nos seus tweets, a líder, Frauke Petry, diz que ninguém quer balear os migrantes mas que, “em última instância, é preciso poder recorrer às armas”.

Criado em plena crise das dívidas públicas como um partido anti-euro, o AfD – Alternativa para a Alemanha – reorientou o discurso contra os refugiados e recolhe cerca de 13% das intenções de voto, numa altura em que a questão das migrações está a fragilizar a posição de Angela Merkel:

“Espero que durante o inverno, enquanto o número de migrantes que chegam ainda é baixo, possamos fazer progressos visíveis. Os números devem continuar a diminuir e não podem voltar a aumentar na primavera”, afirmou a chanceler alemã, que acrescentou que espera que a maioria dos refugiados que afluiu à Alemanha regresse aos países de origem a médio prazo – isto é, quando a guerra na Síria terminar.

Na quinta-feira, após dois meses de rudes negociações, a coligação de Angela Merkel anunciou uma série de medidas que visam tornar a Alemanha menos atrativa para os imigrantes económicos.

Berlim vai limitar o reagrupamento familiar de certas categorias e excluir do acesso ao asilo, nacionais de Marrocos, Argélia e Tunísia, considerando que se trata de três países seguros.