Última hora

Última hora

Arranca no Iowa seleção de candidatos para a Casa Branca

Todos os olhos estão postos no Estado do Iowa, onde arranca hoje o processo eleitoral que determinar, até 14 de junho, os candidatos nomeados por

Em leitura:

Arranca no Iowa seleção de candidatos para a Casa Branca

Tamanho do texto Aa Aa

Todos os olhos estão postos no Estado do Iowa, onde arranca hoje o processo eleitoral que determinar, até 14 de junho, os candidatos nomeados por republicanos e democratas para as presidenciais norte-americanas.

No campo republicano, há 12 aspirantes. O polémico Donald Trump lidera as sondagens para o “caucus” do Iowa, com 28 por cento dos votos.

O multimilionário voltou este domingo a desafiar a capacidade do principal rival a concorrer à Casa Branca. Trump frisou que o “maior problema [de Ted Cruz] é ter nascido no Canadá, porque se se tornar candidato, é possível que nem possa apresentar-se, segundo um grande número de pessoas”.

O senador do Texas assumiu nos últimos tempos o papel de principal rival do controverso magnata na corrida à investidura republicana. Ted Cruz é creditado, no Iowa, com 23 por cento das intenções de voto, numa das últimas sondagens.

Do lado democrata, a favorita é, desde o início, Hillary Clinton. A antiga Primeira Dama e ex-secretária de Estado frisou este domingo as experiências anteriores como vantagens claras para a sua nomeação:

“Não se trata apenas de escolher o próximo presidente, mas também o próximo comandante das forças armadas. Passei muito tempo na sala de crise [da Casa Branca] com o presidente Obama, porque se há um problema que chega às mãos do presidente, isso significa que deve ser decidido por ele e pelos conselheiros mais próximos. […] Eu sei o que significa, para um presidente, enfrentar esses momentos difíceis. E sinto-me preparada para manter a população segura e para mantir o país forte.”

No entanto, o senador independente do Vermont, Bernie Sanders, conquista gradualmente apoios. Se, no início da campanha, em abril, Sanders recolhia menos de 10 por cento das intenções de voto, conta hoje 42 por cento no Iowa, apenas menos três pontos que Clinton.