Última hora

Última hora

Liga Portuguesa, J20: Benfica na "sombra" do Sporting, FC Porto a "despertar"

As "águias" golearam em Moreira de Cónegos, numa demonstração de efiácia demolidora. Em jogo polémico, os "leões" sofreram para bater em casa a Académica. Peseiro reconduziu os "dragões" a um triunfo na Grande Lisboa.

Em leitura:

Liga Portuguesa, J20: Benfica na "sombra" do Sporting, FC Porto a "despertar"

Tamanho do texto Aa Aa

As “águias” golearam em Moreira de Cónegos, numa demonstração de efiácia demolidora. Em jogo polémico, os “leões” sofreram para bater em casa a Académica e o árbitro até pediu desculpa. José Peseiro reconduziu os “dragões” a um triunfo na Grande Lisboa e soma por vitórias as duas jornadas à frente dos vicecampeões.

O Benfica entrou em campo em Moreira de Cónegos sob pressão de ter o FC Porto ao lado e não poder voltar a deixar escapar o líder, Sporting. Gaitán voltou a ser titular e a usar a braçadeira de capitão. Mitroglou e Jonas formaram a dupla de ataque.

No Moreirense, Fábio Espinho estreou-se na Liga. O Benfica entrou forte, com Renato Sanches como médio operário de transição ofensiva, os “cónegos”, com João Palhinha em destaque, resistiram até aos 15 minutos.

Circulação de bola pelo Benfica, Pizzi cruzou da direita e Jonas, sem marcação, abriu o marcador de cabeça — 20.° golo do brasileiro na Liga. Há 20 anos que um jogador do Benfica não chegava aos 20 golos à 20.a jornada.


Os anfitriões responderam por Iuri Medeiros. O jogador emprestado pelo Sporting obrigou Júlio César a boa defesa, aos 23 minutos e, de novo, aos 38.

O Moreirense melhorou, o Benfica perdeu fulgor. Fábio Espinho atirou ao lado, aos 42 minutos, mas os bicampeões não estavam adormecidos. Renato Sanchez lançou Eliseu, o lateral cruzou em esforço da linha de fundo e, de primeira, Mitroglou fez o 0-2. Balde de água fria sobre a equipa da casa, à saída para o intervalo.

Os minhotos reentraram no jogo mais determinados. Iuri Medeiros, de novo, atirou cruzado, aos 50 minutos, ao lado. Petrolina entrou para o lugar de Ohemeng. Lisandro lesionou-se e foi susbtituído pelo jovem sueco Lindelöf (estreia na Liga).

Com o Moreirense a querer “mandar”, aos 67 minutos Pizzi e Jonas “desenharam” um lance perfeito de ataque, concretizado com o 21.° golo do brasileiro no campeonato. A defesa da casa parecia de “manteiga.”

Conferência de imprensa Miguel Leal Moreirense FC 1- SL Benfi…

Conferência de imprensa Miguel Leal Moreirense FC 1- SL Benfica 4Jornada 20 Liga NOS

Publicado por MOREIRENSE FC em Domingo, 31 de janeiro de 2016

Do outro lado apenas Iuri continuava a tentar o golo. Aos 70 minutos, o esquerdino atirou por cima da baliza de Júlio César. Uns falham, outros pareciam não saber falhar. Jogada rápida pela esquerda, o recém-entrado Jimenéz coloca no meio, Jonas amortece e Gaitán marca na passada.

Rui Vitória tirou Samaris, chamou Talisca ao jogo, fez recuar Renato Sanchez, o pêndulo principal deste atual Benfica, para a posição “6” e colocou Gaitán como “maestro”. O Benfica geriu a vantagem e manteve a defesa do Moreirense sob stresse.


O melhor que os anfitriões conseguiram foi reduzir, já nos descontos, pelo inevitável Iuri Medeiros — 6.° golo do esquerdino neste campeonato e o 3.° em 4 duelos com o Benfica. Em cinco dias, depois do triunfo na Taça da Liga, as “águias” voltaram a vencer os “cónegos”, conseguindo um acumulado de 10-2.


Os encarnados mantém o segundo lugar do campeonato, a 2 pontos do líder e com mais 3 que o FC Porto. O Moreirense fica apenas 3 pontos acima da linha de água.


Ficha de jogo

Estádio Com. J. A. Freitas , Moreira de Cónegos (5762 espetadores).
Árbitro: Manuel Oliveira (Porto).

Moreirense: Stefanovic; Sagna, Marcelo Oliveira, Danielson e Evaldo; João Palhinha (A, Rafa Sousa, 86’), e Fábio Espinho; Iuri Medeiros, Vítor Gomes (A, Alan Schons, 80’) e Ohemeng (Nildo Petrolina, 56’); Boateng.
Treinador: Miguel Leal.

Benfica: Júlio César; André Almeida, Jardel (A), Lisandro (Lindelöf, 59’, A), e Eliseu; Samaris(Talisca, 81’); Pizzi, Renato Sanches e Gaitân; Mitroglou (Jimenéz, 72’) e Jonas.
Treinador: Rui Vitória.

Golos: Iuri Medeiros (92’); Jonas (15’ e 67’), Mitroglou (43’) e Gaitán (75’).


Sporting sofre mas vence um dos últimos


O Sporting apresentou, sábado, pela primeira vez no campeonato 6 jogadores da formação num “11” de Jorge Jesus. Rúben Semedo regressou de Setúbal diretamente para titular. Carlos Mané, gorada a saída para o Hamburgo, também se estreou a titular na Liga.

Rui Patrício, Adrien, William e João Mário completaram o contingente “made in” Academia. O holandês Zeegelaar surgiu à esquerda e Slimani voltou a jogar sozinho na frente.

A Académica susteve a entrada forte dos “leões” e à chegada aos 9 minutos despejou um balde de água fria nas bancadas. Canto da esquerda, defesa da casa desequilibrada por aparente bloqueio irregular a Adrien e Rafa abriu o marcador, com um bom remate à entrada da área.


O Sporting reagiu forte e, à meia hora, num grande lance, Adrien foi o “arquiteto” do empate (vídeo em baixo). Logo depois, Naldo cedeu o lugar a Ewerthon, por presumível lesão. Aos 41 minutos, Jorge Jesus foi expulso do banco, por alegadas palavras ao quarto árbitro. No relvado, Mané aproveitou deslize dos “estudantes” e serviu Bryan Ruiz para a “cambalhota” no marcador.

Para a segunda parte, Jesus corrigiu a sobrelotação do “miolo”. William Carvalho voltou a ficar no “banho”, Gelson surgiu em campo, alargou o ataque e soltou o meio-campo: Adrien recuou, Ruiz e João Mário ganharam espaço de manobra.

Gouveia apostou em Gonçalo Paciência e foi feliz “contra a maré”. Com o Sporting por cima, num livre, Patrício afastou a punhos, na entrada da área Ricardo Nascimento insistiu de cabeça e Ewerthon, apertado por João Real em posição de fora de jogo, fez autogolo.

Confusão instalada entre árbitro e assistente de linha lateral. Cosme Machado acaba por sancionar, mal, o empate para a Académica. No domingo, em entrevista à SIC, o árbitro de Braga assumiu e lamentou o erro.

Numa entrevista à SIC, o árbitro do jogo de ontem em Alvalade, Cosme Machado, reconhece ter errado ao validar o segundo golo da Académica.Foi tão grave que se sentiram obrigados a vir a público justificar…

Publicado por Sporting Apoio em Domingo, 31 de janeiro de 2016

Montero entrou para o lugar de Mané, juntou-se a Slimani, procurando criar espaços ao redor do argelino. Os “estudantes” fechavam-se, Gouveia abdicou de um atacante e reforçou a defesa.

Os “leões” tomaram conta do jogo e Trigueira passou a estar em especial destaque, evitando golos a João Pereira, Ruiz, Montero, Adrien e Slimani. Até aos 85 minutos!


Já com a Académica sem Aderlan (expulso por segundo amarelo), Hugo Seco falhou a interceção a um cruzamento largo de João Pereira, Montero dominou e “disparou” de pé esquerdo para o 3-2 — 3.° e último golo do colombiano no campeonato (transferido para a China, por 5 milhões de euros mais avançado argentino Hernan barcos, que reforça os leões).



Nos derradeiros minutos, o Sporting não arriscou, “jogou” com o relógio, conquistou mais 3 pontos, reforçou a condição de líder a 14 jogos do final do campeonato e aproveitou as redes sociais para salientar o jogo menos conseguido por cosme Machado. Os “estudantes” foram apanhados pelo Boavista e caíram para penúltimo, em igualdade pontual.



Ficha de jogo

Estádio de Alvalade, Lisboa (40.139 espetadores).
Árbitro: Cosme Machado (Braga).

Sporting: Rui Patrício; João Pereira, R. Semedo, Naldo (Ewerthon, 33’) e Zeegelaar (A); William Cavalho (Gelson Martins, 46’) e Adrien (A); Carlos Mané (Fredy Montero, 67’), João Mário e Ruiz; Slimani (A).
Treinador: Jorge Jesus (expulso).

Académica: Trigueira; Aderlan (AAV), João Real, Ricardo Nascimento e Rafa (A); Fernando Alexandre (A) e Nuno Piloto (Gonçalo Paciência, 53’); Hugo Seco (A), Leandro Silva (A) e Marinho (Selim Bouadla, 62’); Rafael Lopes (William Gustavo, 77’).
Treinador: Filipe Gouveia.

Golos: Adrien (30’), Bryan Ruiz (43’) e Montero (85’); Rafa (9’) e Ewerthon (60’, ag).


Peseiro mete “dragões” no trilho das vitórias


José Peseiro soma por vitórias os dois jogos em que orientou o FC Porto no campeonato. Desta feita, com um triunfo mais claro e fora de portas. Ao 14.° jogo após a última vitória em deslocações à grande Lisboa (2012, Estoril), os “dragões” repetiram sábado o “11” pelo quinto jogo consecutivo no campeonato e foram felizes, mas começaram mal.


Logo aos 3 minutos, num pontapé de canto da direita, o central Diego Carlos, que na época passada jogou no FC Porto B por empréstimo, abriu o marcador, antecipando-se a Danilo. Os “dragões” reagiram, tomaram conta do jogo e, tal como há 2 semanas na receção ao Benfica, os “canarinhos” recuaram, na defesa da magra e precoce vantagem. Mais uma vez correu mal.

Aos 18 minutos, Layún começou a deixar a sua marca como rei das assistências de golo nesta partida. O lateral mexicano serviu Aboubakar e o camaronês marcou o 9.° golo no campeonato, igualando o novo colega de equipa, o sul-coreano Suk, ex-Setúbal.

Aos 27 minutos, o guarda-redes Kieszek adiou a reviravolta no marcador, primeiro a remate de Maxi e depois na recarga de André André. Mas pouco pôde fazer o polaco, aos 34, quando Danilo se redimiu do golo inaugural do jogo e, também num canto cobrado Por Layún (nova assistência), marcou o 1-2 e o FC Porto foi para o intervalo a ganhar.

Foto Rodrigo Antunes | Facebook Estoril SAD

Publicado por Estoril Praia – Futebol SAD em Domingo, 31 de janeiro de 2016

Após o reatamento, os vice-campeões continuaram melhores e os anfitriões apenas a espaços se mostravam junto a Casillas, mas sem grande perigo. Fabiano Soares trocou de brasileiros — o médio Mattheus pelo avançado Michael — e Peseiro, Brahimi por Varela.

O Estoril ainda colocou Felipe Augusto na frente, mas foi o FC Porto a continuar mais perto do golo. Aos 77 minutos, Aboubakar falhou a… um metro da linha de golo. Incrível! Aos 82 minutos, jogo arrumado. Corona disparou da esquerda, Kieszek defendeu e André André marcou na recarga.


Os treinadores refrescaram o meio-campo. Nos descontos, Maxi viu amarelo e falha receção ao Arouca (tal como o central Marcano, também “amarelado” neste jogo). O “dragões” igualaram o Benfica apenas por 24 horas e mantém-se a 5 pontos do líder.


Ficha de jogo

Estádio António C. da Mota, Estoril (4539 espetadores).
Árbitro: Tiago Martins (Lisboa).

Estoril: Kieszek; Anderson Luís, Diego Carlos, Yohan Tavares e Mano (A); Diogo Amado e Afonso Taira (Babanco, 85’); Marion (F. Augusto, 76’), Mattheus (A, Michael, 68’) e Gerso (A); Leo Bonatini.
Treinador: Fabiano Soares.

FC Porto: Casillas; Maxi Pereira (A), Marcano (A), Martins Indi e Layún; Herrera e Danilo; Corona (A), André André (Rúben Neves, 86’)e Brahimi (Varela, 71’); Aboubakar (A, Suk, 90’).
Treinador: José Peseiro.

Golos: Diego (4’); Aboubakar (18’), Danilo (34’) e André André (82’).


Guimarães beneficia de empates de Braga e Paços


A jornada 20 abriu sexta-feira à noite com a visita a Guimarães do União da Madeira. Os insulares vinham de duas vitórias e abriram o marcador aos 12 minutos, pelo brasileiro Danilo Dias. Mas logo na resposta, o recém-contratado Licá empatou para os anfitriões. Na segunda parte, Henrique Dourado e Otávio selaram o 8.° triunfo no campeonato, o 4.° em casa.


Melhores marcadores


21 golos: Jonas (Brasil, Benfica);
16 golos: Slimani (Argélia, Sporting).
13 golos: Bruno Moreira (P. Ferreira);
10 golos: Leo Bonatini (Brasil, Estoril);
9 golos: Suk (C. Sul, V. Setúbal/ FC Porto), Rafael Martins (Brasil, Moreirense) e Aboubakar (Camarões, FC Porto).

O Braga visitou o Bessa, jogou melhor, mas o Boavista também andou perto do golo. No final, um nulo, que mantém os “guerreiros” do Minho em 4.°, a 10 pontos do pódio e 5 sobre o Paços de Ferreira. As “panteras” igualaram a Académica e ficam acima da linha de água.

Os “castores”, por seu turno, foram a Arouca empatar a 2 golos — Bruno Moreira fez o 13.° golo no campeonato e é melhor marcador português do campeonato atrás de Jonas e Slimani.

Na Choupana, o Nacional colocou fim a uma série de 8 jogos sem vencer — nos últimos 3, aliás, havia perdido mesmo. Diante do “lanterna vermelha”, o Tondela, o brasileiro Rodrigo Pinho abriu o marcador aos 5 minutos, Salvador Agra bisou e, perto do final, o jovem venezuelano de 20 anos, Jhon Murillo, reduziu para o Tondela.

Em Vila do Conde, o Rio Ave venceu o Vitória de Setúbal. Marcelo (20’) e Tarantini (23’) adiantaram os anfitriões na primeira parte. João Costa reduziu na segunda parte. No fecho da jornada, o Belenenses surpreendeu o Marítimo, no Funchal. Um golo de Sturgeon na primeira parte e outro do recém-entrado Miguel Rosa, aos 65 minutos, contra um de Dyego Sousa, aos 69, selaram a quarta derrota da época para os insulares, agora orientados por Nelo Vingada — terceiro jogo em três sem ganhar à frente do Marítimo, segunda derrota consecutiva no campeonato.

Jornada 20:

V. Guimarães — Un. Madeira, 3-1
Estoril — FC Porto, 1-3
Sporting — Académica, 3-2
Arouca — P. Ferreira, 2-2
Nacional — Tondela, 3-1
Rio Ave — V. Setúbal, 2-1
Boavista — Sp. Braga, 0-0
Moreirense — Benfica, 1-4
Marítimo — Belenenses, 1-2

Jornada 21:

Belenenses — Benfica (05/fev, 20h30)
V. Setúbal — Marítimo (06/fev, 18h30)
Tondela — V. Guimarães (20h45)
P. Ferreira — Boavista (07/fev, 16h00)
Un. Madeira — Moreirense (16h00)
Académica — Nacional (16h00)
FC Porto — Arouca (19h15)
Sporting — Rio Ave (08/fev, 19h00)
Sp. Braga — Estoril (21h00)