Última hora

Última hora

Euronews nos EUA: A desilusão Donald Trump e a surpresa Bernie Sanders

A acompanhar o longo processo eleitoral para as presidências dos Estados Unidos, a 8 de novembro, o correspondente da euronews em Washington destaca

Em leitura:

Euronews nos EUA: A desilusão Donald Trump e a surpresa Bernie Sanders

Tamanho do texto Aa Aa

A acompanhar o longo processo eleitoral para as presidências dos Estados Unidos, a 8 de novembro, o correspondente da euronews em Washington destaca a desilusão que se revelou, no Iowa, a estreia nas urnas do republicano Donald Trump e a boa prestação do democrata Bernie Sanders. O foco vai ser agora apontado ao segundo “round” das primárias, em New Hampshire.

Mark Davis, euronews, em Lyon: Stefan, foi uma noite dramática. Comecemos pelos Republicanos: a vitória de Ted Cruz desafiou as sondagens que davam vantagem a Donald Trump. Terá o Trump arriscado cedo demais?
Stefan Grobe, euronews, Washington:
Parece-me que vamos descobrir agora o género de candidato Donald Trump realmente é. Foi a primeira vez que surgiu num boletim de voto e perdeu. E também perdeu a aura do inevitável candidato capaz de prometer e fazer, nascido para vencer. Para já, Trump tem dominado as conversas entre os Republicanos, dominou as sondagens, mas agora, pela primeira vez a contar, perdeu. Por outro lado, este não foi o “habitat” natural de Trump. O Iowa conta com uma vasta comunidade de cristão evangélicos. Quem jogava em casa era Ted Cruz e o senador conservador do Texas venceu com uma margem substancial.

(“Esta noite foi uma vitória das bases, dos conservadores do Iowa e dos conservadores por toda a nação.)

Para quem olha de fora dos Estados Unidos, pode surpreender que Hillary Clinton não tenha vencido com clareza no Iowa. O que nos podes contar de Bernie Sanders? Quais são as hipóteses dele poder ser o nomeado pelos Democratas?
Até aqui, nos Estados Unidos, foi uma surpresa. Sobretudo para a campanha de Hillary Clinton. Bernie Sanders marcou pontos no Iowa e vai voltar a marcar de certeza, na próxima semana, em New Hampshire, Estado vizinho à sua terra natal, Vermot. Estes não são os Estados típicos, não apresentam diversidade e quase não têm minorias. Hillary Clinton beneficia da força que tem nos grandes Estados onde pode jogar os trunfos com o eleitorado feminino, os latinos e os afro-americanos. A lição que recebeu no Iowa é a de que não deve subestimar Bernie Sanders.

O foco está agora colocado, por completo, em New Hampshire. Como é que os resultados deste primeiro “round” podem afetar o segundo?
As sondagens em New Hampshire sugerem uma grande vantagem e triunfo para Donald Trump e um grande triunfo também para Bernie Sanders. Se Trump não ganhar em New Hampshire, se não conseguir afirmar-se ali, a sua campanha vai ficar em sérios problemas. Entre os Democratas, nas sondagens Hillary Clinton surgiu em tão má situação face a Bernie Sanders que uma derrota mesmo por 5 ou 7 pontos poderá ser positiva para ela.
(“Temos de progredir rumo a uma democracia onde nos possamos candidatar a um gabinete
sem mendigar por contribuições dos ricos e poderosos.)