This content is not available in your region

Euronews nos EUA: A desilusão Donald Trump e a surpresa Bernie Sanders

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Euronews nos EUA: A desilusão Donald Trump e a surpresa Bernie Sanders

<p><p>A acompanhar o longo processo eleitoral para as presidências dos Estados Unidos, a 8 de novembro, o correspondente da <b>euronews</b> em Washington destaca a desilusão que se revelou, no Iowa, a estreia nas urnas do republicano Donald Trump e a boa prestação do democrata Bernie Sanders. O foco vai ser agora apontado ao segundo “round” das primárias, em New Hampshire.</p> <b>Mark Davis, euronews, em Lyon: Stefan, foi uma noite dramática. Comecemos pelos Republicanos: a vitória de Ted Cruz desafiou as sondagens que davam vantagem a Donald Trump. Terá o Trump arriscado cedo demais?<br /> Stefan Grobe, euronews, Washington:</b> Parece-me que vamos descobrir agora o género de candidato Donald Trump realmente é. Foi a primeira vez que surgiu num boletim de voto e perdeu. E também perdeu a aura do inevitável candidato capaz de prometer e fazer, nascido para vencer. Para já, Trump tem dominado as conversas entre os Republicanos, dominou as sondagens, mas agora, pela primeira vez a contar, perdeu. Por outro lado, este não foi o “habitat” natural de Trump. O Iowa conta com uma vasta comunidade de cristão evangélicos. Quem jogava em casa era Ted Cruz e o senador conservador do Texas venceu com uma margem substancial.</p> <blockquote class="twitter-video" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">Tonight is a victory for the grassroots, for conservatives across Iowa, and conservatives across the nation. <a href="https://t.co/WPsvqyJ3sl">pic.twitter.com/WPsvqyJ3sl</a></p>— Ted Cruz (@tedcruz) <a href="https://twitter.com/tedcruz/status/694375678754488320">2 fevereiro 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <div align="center"><i>(“Esta noite foi uma vitória das bases, dos conservadores do Iowa e dos conservadores por toda a nação.)</i></div></p> <b>Para quem olha de fora dos Estados Unidos, pode surpreender que Hillary Clinton não tenha vencido com clareza no Iowa. O que nos podes contar de Bernie Sanders? Quais são as hipóteses dele poder ser o nomeado pelos Democratas?</b><br /> Até aqui, nos Estados Unidos, foi uma surpresa. Sobretudo para a campanha de Hillary Clinton. Bernie Sanders marcou pontos no Iowa e vai voltar a marcar de certeza, na próxima semana, em New Hampshire, Estado vizinho à sua terra natal, Vermot. Estes não são os Estados típicos, não apresentam diversidade e quase não têm minorias. Hillary Clinton beneficia da força que tem nos grandes Estados onde pode jogar os trunfos com o eleitorado feminino, os latinos e os afro-americanos. A lição que recebeu no Iowa é a de que não deve subestimar Bernie Sanders.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="en" dir="ltr">From the bottom of my heart: Thank you, Iowa. -H <a href="https://t.co/ptMgfAPFMJ">pic.twitter.com/ptMgfAPFMJ</a></p>— Hillary Clinton (@HillaryClinton) <a href="https://twitter.com/HillaryClinton/status/694383123702882304">2 fevereiro 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <b>O foco está agora colocado, por completo, em New Hampshire. Como é que os resultados deste primeiro “round” podem afetar o segundo?</b><br /> As sondagens em New Hampshire sugerem uma grande vantagem e triunfo para Donald Trump e um grande triunfo também para Bernie Sanders. Se Trump não ganhar em New Hampshire, se não conseguir afirmar-se ali, a sua campanha vai ficar em sérios problemas. Entre os Democratas, nas sondagens Hillary Clinton surgiu em tão má situação face a Bernie Sanders que uma derrota mesmo por 5 ou 7 pontos poderá ser positiva para ela. <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">We must move towards a democracy where one can run for office without begging for contributions from the wealthy and the powerful.</p>— Bernie Sanders (@SenSanders) <a href="https://twitter.com/SenSanders/status/694310060726587394">2 fevereiro 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <div align="center"><i>(“Temos de progredir rumo a uma democracia onde nos possamos candidatar a um gabinete <br /> sem mendigar por contribuições dos ricos e poderosos.)</i></div></p>