Última hora

Última hora

Cuba: Eleições nos EUA não devem influenciar relacionamento entre os dois países

O governo de Cuba não está preocupado com as eleições nos Estados Unidos da América pois acredita que o novo ocupante da Casa Branca não colocará em

Em leitura:

Cuba: Eleições nos EUA não devem influenciar relacionamento entre os dois países

Tamanho do texto Aa Aa

O governo de Cuba não está preocupado com as eleições nos Estados Unidos da América pois acredita que o novo ocupante da Casa Branca não colocará em causa o processo para aliviar as sanções a Havana.

O ministro cubano dos Negócios Estrangeiros, Bruno Rodríguez Parrilla, acredita que a normalização do relacionamento entre os dois países está para breve.

A entrevista conduzida por Luis Carballo.

Luis Carballo: Washington deu-lhes uma data para o fim das sanções. Acredita que será anunciada antes de Obama deixar a Casa Branca?

Bruno Rodríguez Parrilla: Não haverá normalização, obviamente, sem a cessação completa do bloqueio, que exigiria uma decisão no Congresso. O presidente dos Estados Unidos mantém uma autoridade executiva, muito ampla, e se decidir usá-la com determinação poderá mudar, substancialmente, a aplicação do bloqueio.

Luis Carballo: Este é um ano de eleições nos Estados Unidos. O novo executivo de Washington pode afetar o degelo? Qual é o melhor candidato para Cuba?

Bruno Rodríguez Parrilla: Qualquer um deles ou delas, sem dúvida alguma, vai encontrar uma nova situação, sem precedentes, entre os Estados Unidos e Cuba, pois trata-se de estabelecer relações totalmente novas.

Os Estados Unidos têm vindo a levantar, gradualmente, as sanções impostas a Cuba.

No final de janeiro autorizaram diversos tipos de exportações para a ilha.

Pode assistir à entrevista na íntegra, ao ministro cubano dos Negócios Estrangeiros, Bruno Rodríguez Parrilla, no programa Global Conversation, a partir da próxima quinta-feira à noite, na euronews.