Última hora

Última hora

Marc Pierini: "UE comprometeu-se numa diplomacia mercantil com a Turquia"

Em novembro do ano passado a União Europeia e a Turquia alcançaram um acordo sobre a questão dos migrantes e refugiados. A Comissão Europeia avalia

Em leitura:

Marc Pierini: "UE comprometeu-se numa diplomacia mercantil com a Turquia"

Tamanho do texto Aa Aa

Em novembro do ano passado a União Europeia e a Turquia alcançaram um acordo sobre a questão dos migrantes e refugiados. A Comissão Europeia avalia agora os progressos que se fizeram. Marc Pierini, antigo embaixador da União Europeia para a Turquia e investigador na Carnegie Europe, comentou, em entrevista à Euronews, esta matéria.

Gülsüm Alan, euronews – O acordo é realista? Pode funcionar?

Marc Pierini, Carnegie Europe – A União Europeia comprometeu-se numa diplomacia mercantil com a Turquia que tinha poucas hipóteses de funcionar ou, por outro lado, teria grandes dificuldades. E é nesse ponto que nos encontramos. As dificuldades são inerentes à conceção. Trocámos promessas sobre vistos, sobre a negociação de adesão, por uma ajuda aos refugiados. São coisas que não têm nada a ver uma com a outra.

euronews – De que forma é que a Turquia pode gerir este fluxo de refugiados, que aumenta constantemente, e evitar que se dirijam para as portas da União Europeia?

Marc Pierini, Carnegie Europe – O problema é que na costa do Mar Egeu existem máfias a ganhar somas astronómicas. Mil milhões, dois mil milhões em 2015 para enviar pessoas para a morte. Basta que os militares e a polícia turca, que estão perfeitamente equipados, atuem para capturar estas pessoas que vemos na Internet, nas câmeras, em Izmir ou Bodrum.

euronews – É assim tão simples?

Marc Pierini, Carnegie Europe – Não quer dizer que seja simples, mas é um assunto que não é tratado. O novo afluxo de refugiados era previsível. Encontramo-nos num paradoxo. A Turquia diz que por agora não os deixa entrar, mas que autorizará em caso de necessidade. É o primeiro paradoxo. Segundo paradoxo: a União Europeia diz que se deve deixar entrar as pessoas e vigiar.

euronews – Existe falta de confiança entre as partes envolvidas? Porque é que vemos um bloqueio?

Marc Pierini, Carnegie Europe – O problema é a falta de confiança. O único diário de língua inglesa pró-governamental fala, esta manhã, da perversidade da União Europeia. Não existe, verdadeiramente, um clima de cooperação. Existe um clima de desconfiança. A mesma coisa se passa do lado europeu.

euronews – A Turquia acolhe, sozinha, quase três milhões de refugiados.

Marc Pierini, Carnegie Europe – Menos o milhão que partiu para a Europa. Os números oscilam, mas a Turquia acolhe muitos refugiados. O país foi bastante generoso. Os 15% de refugiados que se encontram nos campos são bastante bem tratados. Os outros tentam sobreviver com as poupanças. A Europa tem, inevitavelmente, de falar com a Turquia sobre a componente policial do problema. Não é aceitável pedir aos contribuintes turcos e europeus milhões para ajudar os refugiados – o que é uma boa ação em si mesmo – enquanto traficantes de seres humanos e máfias conhecidas enchem os bolsos.