Última hora

Última hora

"Colonia": uma história da ditadura chilena apresentada na Berlinale

Em leitura:

"Colonia": uma história da ditadura chilena apresentada na Berlinale

Tamanho do texto Aa Aa

Baseado em factos verídicos, "Colonia" é a nova longa-metragem de Florian Gallenberger, que venceu o Óscar pela curta-metragem "Quiero ser", em 2001.

Chile 1973: um casal alemão é apanhado no meio do Golpe de Estado que levou Augusto Pinochet ao poder. A população está na rua. Daniel é raptado pela polícia secreta do General e enviado para uma comunidade rural isolada e guardada por homens armados. O local também acolhe uma seita nazi. Na esperança de encontrar e resgatar o companheiro, Lena junta-se ao culto.

Baseado em factos verídicos, “Colonia” é a nova longa-metragem de Florian Gallenberger, que venceu o Óscar pela curta-metragem “Quiero ser”, em 2001.

O filme protagonizado por Emma Watson e Daniel Brühl foi apresentado em Berlim.

A ditadura chilena não é um tema desconhecido para o ator alemão que nasceu em Barcelona e cuja mãe é espanhola. Brühl conta que, “quando era criança (…) houve mesmo uma família de chilenos exilados que viveu lá em casa. Os meus pais estavam muito envolvidos nas questões chilenas e portanto tive uma relação com o Chile, com a sua cultura e a sua história desde tenra idade”.

A atriz britânica, nascida em Paris, explicou aos jornalistas os motivos que a levaram a aceitar o papel de Lena:

“Muita gente pergunta-me se escolhi este filme por causa do meu interesse recente pela política. Mas, a verdade é que adorei o papel. Claro que é também uma época em que estou interessada, mas foi a personagem que me atraiu para este filme”, esclareceu Watson.

Apesar de se centrar mais na ação do que no contexto histórico, o realizador espera que “Colonia” leve os jovens a interessarem-se pela história da ditadura chilena:

“Aparentemente, ao verem este filme de entretenimento, as pessoas encontram algo com significado, que é mais que apenas um filme. Não quisemos dar uma lição de História, mas sim contar uma história fascinante, fazer um filme de entretenimento, que também tem um significado. Parece que conseguimos”, afirma Gallenberger, que viu a surpresa do público mais jovem ao saber que a história é verdadeira e o interesse imediato em “ir ao google” procurar mais informações sobre o tema.

“Colonia” ainda não tem data de estreia em Portugal.