Última hora

Última hora

"Cartas da Guerra" de Ivo Ferreira na corrida ao Urso de Ouro

Em leitura:

"Cartas da Guerra" de Ivo Ferreira na corrida ao Urso de Ouro

Tamanho do texto Aa Aa

“Cartas da Guerra”, o filme de guerra e romantismo, realizado por Ivo Ferreira, estreou no Festival Internacional de Cinema de Berlim. Rodado a

“Cartas da Guerra”, o filme de guerra e romantismo, realizado por Ivo Ferreira, estreou no Festival Internacional de Cinema de Berlim.

Point of view

Falo de uma história que não vivi. Trabalhei com material muito sensível, uma história de amor, uma história incrível.

Rodado a preto e branco, o filme conta a história verídica do médico e escritor António Lobo Antunes, enviado para a guerra colonial em Angola, de 1971 a 1973. Durante esse tempo, Lobo Antunes escreve cartas cheias de dor e ternura, que relatam o dia a dia dos soldados.

“Falo de uma história que não vivi. Trabalhei com material muito sensível, uma história de amor, uma história incrível. Do meu ponto de vista essa guerra foi estúpida. Espero que as pessoas se reconheçam de alguma forma neste filme. Mas, como digo, é a minha própria interpretação dos acontecimentos”, diz o realizador Ivo Ferreira.

O conteúdo das cartas chega aos espetadores através da mulher. Papel interpretado pela atriz Margarida Vila-Nova.

“A guerra terminou em 1974 mas a minha geração não sabe nada sobre ela – bom, quase nada. A geração precedente guardou silêncio sobre essa guerra e, por isso, para mim era importante alguém falar sobre o que aconteceu. Acredito que este filme pode ser muito interessante para os jovens, que pode ser uma lição para os que nada sabem”, afirma Margarida Vila-Nova, atriz.

Além de Margarida Vila-Nova, integram o elenco mais de 40 atores, entre os quais Miguel Nunes, Ricardo Pereira, João Pedro Vaz e Simão Cayatte.

Na estreia do filme estiveram presentes o primeiro-ministro, António Costa, e ministro da Cultura, João Soares. António Costa elogiou o trabalho de Ivo Ferreira referindo que a adaptação da notável obra da literatura portuguesa “é um grande momento para Portugal”.

O filme de Ivo Ferreira é um dos 18 na corrida pelo Urso de Ouro e um dos oito de autoria portuguesa no mesmo festival. Em competição estão, por exemplo, as curtas-metragens “Balada de um Batráquio”, de Leonor Teles, “Freud und Friends”, de Gabriel Abrantes. E na secção Forum, destaca-se “Eldorado XXI”, de Salomé Lamas.

Face à “maior representação de sempre” de filmes portugueses no Festival de Cinema de Berlim, Costa sublinhou que estar presente seria um dever do Estado: “É importante ajudar a valorizar a nossa criação e produção. Onde está Portugal, é dever do Estado estar e apoiar”, declarou o primeiro-ministro à agência Lusa em Berlim.

“Cartas da Guerra” deverá estrear nos cinemas portugueses no segundo semestre deste ano.