Última hora

Última hora

"Selva" de Calais transformada

De origens distintas, os mais de quatro mil migrantes que sobrevivem na chamada “Selva” de Calais, no norte de França, estão unidos por um objetivo

Em leitura:

"Selva" de Calais transformada

Tamanho do texto Aa Aa

De origens distintas, os mais de quatro mil migrantes que sobrevivem na chamada “Selva” de Calais, no norte de França, estão unidos por um objetivo comum. Procuram uma oportunidade de ouro para cruzar o Canal da Mancha e chegar ao Reino Unido.

O cenário de miséria visível no terreno parece ter os dias contados porque prosseguem as demolições em alguns locais do famoso campo de migrantes.

“A ideia é ter um campo organizado, supervisionado por uma associação que gere todos os serviços que aqui são oferecidos às pessoas e para reduzir também este espaço feito de abrigos improvisados, em que as pessoas vivem nas estradas, debaixo de chuva e de neve”, sublinhou Georgia Fayet, dos serviços de migração.

As demolições servem, em parte, para construir duas faixas junto à estrada por onde passam os camiões e carros com destino ao Reino Unido para que as autoridades consigam avistar mais facilmente os migrantes que tentam a sorte.

Os migrantes podem requerer asilo ou mudar-se para contentores instalados num campo temporário, mas nem todos vêm isso com bons olhos.

Existem 450 camas disponíveis de um total de 1500. As impressões digitais são necessárias para entrar e sair.

Esta semana, mais de 80 pessoas partiram de autocarro para outras regiões de França.

Muitos preferem aguardar e tentar chegar ao Reino Unido, terra de todos os sonhos. Por agora, para aqueles que se encontram na “Selva”, o sonho não passa de uma miragem.